LANCE!
28/09/2016
10:17
Rio de Janeiro (RJ)

Depois de pedir o desligamento do UFC e ouvir o presidente da organização Dana White dizendo que não irá cancelar seu contrato e que irá "achar algo bom para ele", José Aldo reforçou sua posição e detalhou o que o levou a desistir da carreira no evento e até no MMA. 

Em participação no Revista Combate, o atual campeão interino dos penas esclareceu o que esperava do UFC, relatou suas decepções e até sugeriu que pode ingressas em outro esporte no futuro.

- Vi o que o Dana falou. Eles prometeram uma coisa para mim... Essa ideia já vinha no meu pensamento, eu não queria nem mais lutar MMA, chegou no meu limite. Conversei com o Dedé (Pederneiras, treinador) há muito tempo, mas ele me convenceu a continuar. Lutei com o Frankie Edgar para ganhar, foi a luta do Dedé. Quando acabou a luta, ofereci a vitória a ele. Depois disso, estava esperando, o cara falou que a luta estava fechada, pessoas do UFC falaram que a gente conseguiu a luta. Não é que estou de cabeça quente, revoltado, nada disso. Estou muito tranquilo. Avisei antes que queria encerrar minha carreira aos 30 anos de idade e tomar novos rumos. Nunca lutei por dinheiro, queria fazer um trajetória boa e deixar um legado na categoria. Queria me aposentar como único campeão peso-pena, mas não foi dessa maneira. Sou campeão interino, mas estou realmente estou de saco cheio - desabafou o brasileiro.


José Aldo deixou bem claro que caso o Ultimate faça algum movimento para tentar mudar sua decisão, será em vão.

- Se oferecerem qualquer coisa... Não é questão de dinheiro, eu não aguento mais. Chegou no meu limite. Se ele (Dana) gosta de mim e da minha família como falou, só peço que ele me libere normalmente, não quero briga com ninguém. Quero sair do jeito que eu entrei. O UFC nunca me deu nada, nem o WEC, nem ninguém. Foi tudo mérito meu, da minha equipe e da minha família. Conquistei tudo. Só quero que possam me liberar do contrato. Se eles me oferecerem milhões, podem ficar para eles, não quero. Não sou p... para me vender. Sou homem. Meu pai me fez assim - garantiu.

Por fim, Aldo explica que o problema não é ver o rival Conor McGregor enfrentar Eddie Alvarez pelo título dos leves e, sim, ver o UFC aceitar que ele mantenha o cinturão dos penas, conquistado em dezembro e não defendido até hoje. Diferente de quando Aldo era campeão dos penas e queria subir para os leves para encarar Anthony Pettis pelo cinturão. Na época, Dana disse que o brasileiro deveria deixar o título dos penas para mudar de peso.

- Não achei aquilo justo, eu era o campeão. Estava tentando fazer uma coisa boa para o evento, para todo mundo. O que aconteceu agora é diferente. Eu esperava defender o cinturão contra o Pettis ou o ( Max ) Holloway. Ele (McGregor) pode lutar contra o Alvarez, contra o Tyron Woodley, contra qualquer um. Minha vida e a do peso-pena tem que continuar. Só quero que o UFC me libere para eu seguir a minha vida, minha carreira em outro esporte, que sempre tive o sonho - afirmou.

Vale lembrar que recentemente, antes das Olimpíadas Rio-2016, o manauara declarou que gostaria de se aventurar no boxe ao fim de sua carreira no MMA.

José Aldo soma um cartel de 26 vitórias e apenas duas derrotas na carreira. O brasileiro foi o primeiro campeão peso-pena do UFC e completou dez anos de invencibilidade antes de perder para Conor McGregor, em dezembro passado. Em julho, Aldo bateu Frankie Edgar na decisão dos juízes e conquistou o título interino dos penas.