Huracan (ARGENTINA)

Ábila e sua turma levam o Huracán para a fase de grupos da Libertadores (Foto: Juan Mabromata/AFP)

RADAR/LANCE!
10/02/2016
00:54
Caracas (VEN)


Um gol nos acréscimos do atacante reserva Mendoza, quando tudo parecia perdido, classificou na madrugada desta quarta-feira de Cinzas o Huracán - com um a menos - para a fase de grupos da Libertadores. O time argentino perdeu o jogo para o Caracas  por 2 a 1, mas como havia vencido a ida  em Buenos Aires por 1 a 0, conseguiu avançar mesmo não jogando bem.

Após arrancar a vaga de forma tão dramática, o Huracán vai para o Grupo 4, o mesmo de Peñarol, Atlético Nacional e Sporting Cristal.

O primeiro tempo foi muito movimentado, pois ambos os times buscaram o gol. Com a volta do atacante Ábila - que teve a punição de três jogos reduzida para um pela Conmebol e retornou ao time - os argentinos começaram muito bem. Antes dos dez minutos, Ábila e Montenegro levaram muito perigo ao goleiro Fariñez, garoto de 17 anos.

O Caracas só conseguiu oferecer perigo a partir do momento que seus jogadores se tranquilizaram em campo (começaram reclamando demais da arbitragem e errando passes) e passaram a buscar lances pelos flancos e em bolas paradas. Aos 18, quase saiu na frente. Sánchez cobriu falta para a área e a bola desviou antes de entrar. Numa marcação polêmica, o juiz anulou o gol marcando impedimento.

O jogo ficou bem corrido, com o Caracas um pouco mais perigoso. E aos 46 minutos o time da casa chegou ao gol. Um cruzamento pela esquerda achou o zagueiro Quijada bem colocado pela direita. Ele cabeceou e marcou colocando o jogo em aberto, já que na ida o Huracán vencera por 1 a 0.

Após o intervalo, o Caracas passou a jogar através de lançamentos e teve tudo para ampliar aos dez minutos, quando  García recebeu desmarcado pela direita e avançou na cara do goleiro Díaz. Só que ele se enrolou todo e acabou sendo bloqueado pelo arqueiro. Perdeu uma chance incrível.

Mais tarde, aos 23 minutos, Hernández, o mais arisco jogador em campo, fez ótima jogada pela esquerda e tocou para Arango. O atacante do Caracas deu um toquinho e a bola passou raspando o gol de Díaz. 

Com a expulsão de Mariano González - um pouco rigorosa, não foi falta para vermelho - o Huracán se fechou tentando buscar a classificação nos pênaltis; Só que aos 37, o atacante Arango recebeu pela esquerda, não ajeitou bem, mas Hernandez fez a correção e devolveu a bola para Arango, que cortou para o meio e mandou uma bomba, fazendo 2 a 0 para o Caracas.

Tudo parecia perdido para o Huracán. Mas o técnico Eduardo Domínguez tinhas cartas na manga. Aos 39, colocou Mendoza em campo. Aos 43, o lateral Miralles. E os dois jogadores deram a classificação ao time aos 47, quando Miralles fez a tabela com Toranzo, cruzou na cabeça de Mendoza, que até então, mal tocara na bola. Classificação sensacional.

FICHA TÉCNICA
CARACAS (VEN) 2 X 1 HURACÁN (ARG)

Jogo de Volta da 1ª fase da Libertadores
Estadio: Olímpico, em Caracas (VEN)
Data/Hora: 9/2/2016, às 22h45
Árbitro: Enrique Cáceres (PAR)
Renda e público: ND
Cartões amarelos: Sanchez, Quijada (CAR), Sán Román, Mariano González, Fritzler e Nervo (HUR)

Cartões vermelho: Mariano González/HUR (28'/2ºT)

Gols: Quijada, 46'/1T (1-0), Arango, 37'/2ºT (2-0), Mendoza, 47'/2ºT (2-1)

CARACAS: Fariñez; Vargas, Sánchez, Di Giorggi e Quijada; Andreutti, Garcêz, Flores (Evelio Hérnandez, 32'/2ºT), e Robert Hernández; Garcia (Febres, 43'/2T e Arango (Díaz, 40'/2ºT)  - Técnico: Antonio Franco

HURACÁN: Díaz; Saint Román (Miralles, 43'/2ºT), Nervo, Mancinelli e Balbi; Mariano González, Fritzler (Mendoza, 39'/2ºT), Bogado, Toranzo e Montenegro (Villarruel, 35'/2ºT); Ábila- Técnico: Eduardo Domínguez