Bruno Grossi
06/07/2016
09:30
São Paulo (SP)

São Paulo e Atlético Nacional (COL) caminham para construir uma rivalidade intensa na América do Sul. Somente neste século, as equipes se enfrentaram seis vezes, com embates na Copa Libertadores da América e na Copa Sul-Americana. E o Tricolor leva vantagem, mesmo que tenha encarado seguidas reformulações diante da manutenção da base dos verdolagas.

NÚMEROS
Vitórias do São Paulo: 5
Empates: 3
Vitórias do Nacional: 2

Em 2013, o time paulista venceu por 3 a 2 no Morumbi e segurou empate sem gols em Medellín para ir à semifinal da Sul-Americana. Entre os relacionados para o jogo desta quarta-feira, às 21h45, na abertura das semifinais da Libertadores, apenas o zagueiro Rodrigo Caio participou dos encontros, inclusive falhando no jogo de ida na capital paulista. 

No ano seguinte, de novo na Sul-Americana, mas na semifinal, os colombianos deram o troco. Depois de um vitória por 1 a 0 para cada lado, o Morumbi ficou em silêncio após a vitória visitante nos pênaltis por 4 a 1. Do atual elenco são-paulino, foram utilizados nos embates Hudson, Michel Bastos, PH Ganso (agora machucado) e Alan Kardec, que escorregou em sua penalidade.

Se o São Paulo mudou tanto em um ano e meio, o mesmo não pode ser aplicado ao Atlético Nacional. Tomando os dois anos de duelos na Sul-Americana, os verdolagas mantiveram nove atletas no elenco, quase o dobro da marca dos tricolores. A lista tem Armani, Henríquez, Bocanegra, Mejía, Farid Díaz, Berrío (suspenso para o primeiro jogo), Arias e Pérez.

Rodrigo Caio - São Paulo
Rodrigo Caio é o único titular desta quarta-feira que jogou em 2013 pelo São Paulo  contra o Atlético (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

Há diferenças também no banco de reservas. Os colombianos, que perderam Juan Carlos Osorio justamente para o São Paulo em 2015, contrataram o também colombiano Reinaldo Rueda, que segue até hoje no cargo. Já o time brasileiro teve, além do Profe, Milton Cruz e Doriva, até chegar à contratação do argentino Edgardo Bauza para esta temporada.

Os outros confrontos da história de tricolores e verdolagas aconteceram em 2008, pela fase de grupos da Libertadores, 1994 e 1993, ambos pela extinta Supercopa da Libertadores. O São Paulo conquistou três vitórias no período, além de dois empates e uma derrota. Em 93, a Supercopa foi decidida nos pênaltis e o Tricolor ficou com a taça.