Russel Dias
12/09/2017
06:00
Enviado especial a Guayaquil (ECU)

Visitante indigesto. Jogadores rápidos pelas pontas. Time do contra-ataque. Goleiro incontestável. Todos esses elogios poderiam ser para o Santos, mas também podem ser atribuídos ao Barcelona de Guayaquil, adversário do Peixe no Equador, nesta quarta-feira, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores.

Enfrentar o "Ídolo do Equador" será para o Alvinegro como se olhar em um espelho. Se o Santos tem Vanderlei, para muitos o melhor jogador do time na temporada, o Barcelona tem Maximo Banguera, ídolo do clube e goleiro titular da seleção equatoriana.

No clube desde 2009, Banguera levou nove gols na Libertadores, quatro a mais do que Vanderlei, que estreou na competição apenas na terceira rodada, pois se recuperava de lesão.

Quando o assunto é contra-ataque, o Peixe e Barcelona pouco se diferem. Como Copete e Bruno Henrique, um canhoto na direita e um destro na esquerda, o Ídolo do Equadortem Ayoví na esquerda e Caicedo na direita, os responsáveis pelas transições em velocidade para o ataque.

Na armação das jogadas, o técnico Guillermo Almada conta com Damián Diaz. E criação é um assunto sério para o uruguaio, que elogiou Lucas Lima em suas entrevistas. O camisa 10 santista é o líder de assistências da Libertadores com seis passes para gol.

O time fechado e rápido ao mesmo tempo não encanta no Campeonato Equatoriano, no qual figura a nona posição pois joga com uma equipe alternativa e prioriza a Libertadores, na qual venceu fora de casa pelo mesmo número de vezes que triunfou em casa: duas vezes em cada.

A fama de bom visitante incomoda os santistas, que vão decidir em casa.

- Assisti alguns jogos do Barcelona. O que vi, é que o time é rápido, gosta de jogar no contra-ataque. Quando jogaram em casa, tiveram mais dificuldades, porque tem que propor o jogo. Quando eles têm espaço para contra-atacar, levaram mais perigo. A principal característica é a velocidade, tem três ou quatro muito rápidos. Não podemos dar campo porque eles exploram os espaços - comentou Thiago Ribeiro, atacante que será titular na quarta-feira.

Em 2017 o Barcelona de Guayaquil já deixou para trás três campeões da Libertadores, foram eles o Atlético Nacional (COL), o Estudiantes (ARG) e o Palmeiras, eliminado nas oitavas de final no Allianz Parque.

O técnico Levir Culpi recebeu do departamento de análise de desempenho imagens dos últimos dez jogos do adversário e passará um vídeo aos jogadores no dia da partida.