Dia 8 - Sérgio Oliva levou o bronze no hipismo individual misto grau IA

Sergio Oliva celebra a conquista de sua primeira medalha paralímpica (Foto: Cleber Mendes/MPIX/CPB)

LANCE!
15/09/2016
22:36
Rio de Janeiro (RJ)

O oitavo dia dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 não foi positivo para o Brasil. A equipe nacional caiu nesta quinta-feira do quinto para o sétimo lugar no quadro oficial de medalhas do evento, que leva em conta o número de medalhas de ouro como critério para a classificação.

O Brasil foi ultrapassado pela Austrália, nova quinta colocada, e pela Alemanha, que está em sexto lugar. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) tem a meta de terminar o evento entre as cinco melhores nações. 

Pelo segundo dia consecutivo, a delegação brasileira encerrou o dia sem subir no lugar mais alto do pódio. Foram cinco láureas, sendo uma de prata e quatro de bronze. Agora, o país soma 53 medalhas: dez ouros, 25 pratas e 18 bronzes.

Veja abaixo um resumo do oitavo dia dos Jogos Paralímpicos.

Atletismo mais uma vez conquista medalhas

Dia 8 - Felipe Gomes conquistou a prata nos 200m rasos T11
Felipe Gomes foi o melhor do dia do Brasil, com o segundo lugar (Foto: Fernando Maia/MPIX/CPB)

Três das cinco medalhas do Brasil nesta quinta-feira saíram no atletismo. Felipe Gomes, que correu com o guia Jonas Silva, foi prata nos 200m rasos T11. Na mesma prova, Daniel Silva (com o guia Heitor Sales) ficou com o bronze. A outra terceira colocação foi de Marivana Oliveira no arremesso de peso F35.

Bronzes na canoagem e no hipismo

Caio Ribeiro (Foto: Cezar Loureiro/MPIX/CPB)
Caio Ribeiro comemora medalha inédita na Paralimpíada (Foto: Cezar Loureiro/MPIX/CPB)

A delegação brasileira segue com feitos históricos nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Caio Ribeiro conquistou a primeira medalha da canoagem do Brasil ao ficar com o bronze na classe KL3. Vale lembrar que a modalidade estreou na Paralimpíada neste ano.

Quem também faturou um bronze foi Sérgio Oliva, no hipismo, na prova individual misto grau IA. Essa é a terceira participação do atleta em Jogos Paralímpicos, e o primeiro pódio. Na história, o Brasil só tinha obtido duas medalhas na modalidade.

Natação zera e piscina sofre problema em bomba
Pela primeira vez nos Jogos Paralímpicos Rio-2016, o Brasil encerrou o dia sem medalhas na natação ontem no Estádio Aquático. Quem mais chegou perto foi Matheus Silva, quinto na final dos 100m livre S11.

O que marcou o oitavo dia de competições na modalidade foi um problema técnico com a bomba da piscina. Atletas e treinadores reclamaram sobre uma movimentação na água durante as provas. As competições foram interrompidas para o conserto, e retomadas quase uma hora depois.

Zanardi ganha prata 15 anos após acidente que o deixou sem as pernas

Alessandro Zanardi venceu a prova nesta quinta-feira (Foto: Igor Siqueira)
Alessandro Zanardi levou prata nesta quinta-feira (Foto: Igor Siqueira)

O italiano Alessandro Zanardi conquistou nesta quinta-feira a medalha de prata no ciclismo de estrada, na competição masculina na classe H5. O resultado veio em um dia marcante, exatos 15 anos após o grave acidente que causou a amputação das duas pernas do ex-piloto de automobilismo.

No dia 15 de setembro de 2001, Zanardi sofreu uma forte colisão de outro piloto, o canadense Alex Tagliani, durante corrida da extinta Cart (atual IndyCar) em Lausitzring, na Alemanha. A batida resultou na amputação dos membros inferiores.

Zanardi fez o tempo de 1h37m49s, o mesmo do medalhista de ouro, o sul-africano Ernst van Dyk.

Futebol de 5 brilha, vence a China e vai à final
Sem perder um jogo desde 2013, a equipe brasileira de futebol de 5 fez juz ao favoritismo nos Jogos Paralímpicos Rio-2016 e se classificou para a decisão da modalidade. A vitória foi suada sobre a China, por 2 a 1, com gols do craque Jefinho. A final será no sábado contra o Irã. Os dois times se enfrentaram na primeira fase, e empataram em 0 a 0. O Brasil buscará o tetracampeonato.