LANCE!
08/09/2016
23:45
Rio de Janeiro (RJ)

A disputa começou! Nesta quinta-feira, os Jogos Paralímpicos Rio-2016 começaram a desenhar as primeiras histórias de glória, superação, decepção e fracasso nas arenas espalhadas pelo Rio de Janeiro. A jornada foi marcada pela 16ª medalha paralímpica na carreira de Daniel Dias, uma exibição de gala da China e o recorde mundial de uma "vovó" na natação.

Medalhas brasileiras

Rio 2016
Ricardo Costa celebra vitória no Rio (Foto: Divulgação/CPB)

O Brasil conquistou no primeiro dia de competições quatro medalhas, sendo duas de ouro, uma de prata e uma de bronze. Os campeões foram o nadador Daniel Dias, que alcançou sua 16ª medalha em Jogos Paralímpicos (a 11ª de ouro), e o saltador Ricardo Costa, que faturou a vitória no último salto

Quem inaugurou o dia de medalhas brasileiras foi Odair Santos, nos 5.000m. E, na natação, Ítalo Pereira fechou o dia, com o bronze nos 100m costas S7.

Início decepcionante

Rio 2016
Alan Fonteles no centro, nos 100m rasos (Foto: Divulgação/CPB)

Enquanto alguns atletas brilharam, outros decepcionaram. Visivelmente fora de forma, o velocista Alan Fonteles estreou nos 100m rasos, e sequer classificou-se para a final. Nas eliminatórias, ele terminou em quarto lugar em sua bateria e não disputará medalha na distância.​

'Vovó' bate recorde mundial
Entre os inúmeros recordes mundiais batidos nesta quinta-feira, um chamou a atenção. A cazaque Zulfiya Gabidullina fez a melhor marca da história nos 100m livre S3. Detalhe: ela tem 50 anos, 28 a mais do que a vice-campeã, a chinesa Qiuping Peng. 

China mostra seu cartão de visitas
A China mostrou nesta quinta-feira porque é a principal potência paralímpica da atualidade. O país ganhou 20 medalhas nos 38 eventos que distribuíram láureas na Rio-2016, sendo sete de ouro, nove de prata e quatro de bronze.