Carlos Arthur Nuzman com a tocha da Rio-2016 em Atenas (Foto: Aris Messinis/AFP)

Carlos Arthur Nuzman com a tocha da Rio-2016 em Atenas (Foto: Aris Messinis/AFP)

Paula Mascára
12/09/2016
16:18
Rio de Janeiro (RJ)

Carlos Arthur Nuzman participou da coletiva dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 no Parque Olímpico, nesta segunda-feira. Com grande presença da imprensa de outros países, o presidente do Comitê Organizador dos Jogos foi questionado por um repórter estrangeiro sobre aplicação de dinheiro público no orçamento dos eventos. O foco da pergunta era o convênio de R$ 150 milhões com a prefeitura do Rio de Janeiro.

- Trabalhamos com dinheiro privado e dentro do orçamento todo o tempo, é o jeito que estamos trabalhando e organizando os Jogos. Temos as portas sempre abertas para novos patrocinadores, não importa se é Governo ou instituição privada. Vamos deste jeito até o fim. O Rio está dando uma enorme contribuição ao movimento olímpico e paralímpico com esta atitude e deixamos um legado para o futuro - afirmou Nuzman.

O repórter tentou insistir no assunto, mas o dirigente não quis prolongar a conversa.

- Precisamos comparar todos os números que temos, no final vamos apresentar tudo. Foram US$ 2,8 bilhões para organizar os dois Jogos - concluiu.

Sobre a realização dos Jogos Rio-2016 até então, Nuzman disse estar satisfeito.

- Não gosto de falar no meio da competição, mas estou satisfeito com o que tenho visto. Ainda não terminou, ainda temos muito a fazer, a entregar, a dar demonstrando pública do que nos comprometemos. Temos um número extraordinário de atletas com resultados magníficos, tantos recordes sendo batidos. Coloco como importância não só os resultados, mas como o Brasil dá demonstração que o país tem as portas abertas para o esporte olímpico e paralímpico - afirmou.