Futebol de 5

Seleção de futebol de 5, que busca o tetracampeonato, é apontada como favorita (Divulgação)

LANCE!
13/09/2016
16:30
Rio de Janeiro

A Seleção Brasileira de futebol de 5, modalidade para deficientes visuais, tentou, chutou várias vezes a gol, perdeu oportunidades de frente para o arqueiro, sofreu com a retranca do Irã e não conseguiu sair do 0 a 0, nesta terça-feira, na arena montada no Parque Olímpico. Com o empate, a equipe nacional garantiu a primeira colocação do Grupo A e enfrentará a China pela semifinal dos Jogos Paralímpicos, na quinta, às 16h.

Os adversários da próxima fase saíram após disputa por pênaltis, vencida pelos argentinos por 2 a 1. Em partida realizada na sequência do confronto entre Brasil e Irã, Argentina e China jogaram para definir o primeiro colocado do Grupo B. Os dois países chegaram para o duelo classificados e com campanhas idênticas: vitórias por 1 a 0 contra a Espanha e por 2 a 0 sobre o México.

O empate sem gols entre chineses e argentinos provocou uma situação inusitada. As duas equipes terminaram a primeira fase iguais em todos os critérios de desempate e tiveram que realizar uma disputa por pênaltis. Os asiáticos converteram apenas uma de três tentativas e viram os sul-americanos anotarem as duas primeiras cobranças – sem necessitar bater a terceira - e ganharem por 2 a 1.

Antes mesmo de conhecerem os oponentes da semifinal, os brasileiros já projetavam um embate complicado.

- Nós vamos ter um jogo muito difícil, independentemente de China ou Argentina. Estamos preparados, porque vamos dar o máximo e ter que correr muito - avaliou Ricardinho, que foi poupado no duelo contra o Irã e entrou faltando menos de dez minutos.

- A gente sempre quer estar jogando, mas tem que ter inteligência também. O treinador optou por me deixar no banco por alguns fatores. Primeiro porque o time que jogou tem plenas condições e mostrou um grande futebol, e como venho de lesão recente, há um risco maior para mim de uma nova lesão muscular - afirmou o camisa 10.

Tricampeã paralímpica (Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012), a Seleção Brasileira é a única até hoje a subir no lugar mais alto do pódio, já que a modalidade estreou na Grécia. No entanto, terá trabalho para manter a hegemonia. Os argentinos foram os adversários da primeira final paralímpica, quando o título veio nos pênaltis, e os chineses foram vice quando sediaram os Jogos.

- Será um duelo decidido nos detalhes e temos que estar atentos o tempo todo. A China tem jogadores muito velozes, que se a gente vacilar, eles entram na nossa defesa. A Argentina é um time experiente, com jogadores bons na marcação e que podem nos surpreender. Então temos que estar focados o tempo todo - disse o atacante Raimundo Nonato.

No outro duelo da semifinal, marcado para quinta-feira às 20h, o Irã, que garantiu a classificação ao empatar com os brasileiros, e a Argentina medirão forças para decidir quem vai para a disputa pelo ouro.