Igor Siqueira
16/09/2016
14:32
Rio de Janeiro (RJ)

Quem vê Silvania Costa conquistando o ouro no salto em distância dos Jogos Paralímpicos e confirmando o favoritismo nem imagina que essa história de sucesso no esporte começou por acaso, pela necessidade de pagar uma conta.

Foi em 2008 que Silvania deu os primeiros passos no atletismo, então com 21 anos. Ela já era mãe de Letícia Gabriela, hoje com 10 anos. O dinheiro era tão escasso, que havia uma dívida até com o leiteiro. Foi então que, com o apoio do irmão e também campeão paralímpico no salto em distância, Ricardo Costa, apareceu uma alternativa.

- Eu comecei no atletismo por ela. Ricardo corria em provas de rua sem profissionalismo. Quando me chamaram para ir em uma corrida de 10km, eu entrei pela premiação, que era R$ 300. Eu precisava pagar o leiteiro para ela. Não tinha preparo físico, corri pela premiação, não tinha como manter minha casa. Eu estava divorciada - disse Silvania, que não vislumbrou no atletismo uma solução imediata:

- Fiquei uma semana debilitada, com muita febre, porque não tinha preparo físico. Falei para o meu amigo para não me chamar mais porque não tinha condição. Só que no mês seguinte vieram as contas. E logo liguei perguntando onde tinha mais corrida. Eu fui pegando embalo.

Mas as glórias para Silvania não vieram de imediato.

- Viajávamos juntos, dormíamos em rodoviária, dividíamos marmita, não tínhamos condições de parar para almoçar - conta ela, que se emociona e chega à seguinte conclusão:

- Se chegamos até aqui, foi por muita dedicação. Valeu a pena.

E a história não deve parar por aí. Porque uma nova representante da família já está no esporte.

- Minha filha já é medalhista escolar no salto em distância. A família Oliveira vem aí... - avisa Silvania.

E que continue vindo com foco, força e medalha.