O nadador paralímpico brasileiro, Daniel Dias

Daniel Dias compete nos 200m estilo livre da classe S5 logo no primeiro dia (Foto: Instagram/Reprodução)

LANCE!
01/09/2016
16:06
Rio de Janeiro

Em busca de atingir a quinta colocação geral no quadro de medalhas, o Brasil tem grandes chances de já subir ao pódio logo nos dois primeiros dias de disputas dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Daniel Dias, Terezinha Guilhermina, Andre Brasil, Lúcia Teixeira e Talisson Glock, que competem nos dias 8 e 9, são as maiores esperanças no começo do evento.

Na quinta-feira, primeiro dia de competições, os destaques são os nadadores Daniel Dias e Talisson Glock. Daniel é o maior medalhista da história dos Jogos Paralímpicos, com dez ouros, quatro pratas e um bronze. Atual bicampeão paralímpico e tri mundial nos 200m estilo livre da classe S5, ele é favorito na prova. Já Talisson briga pelo ouro nos 100m costas da classe S6. O catarinense de 21 anos foi vice-campeão mundial da prova no ano passado e conquistou o ouro nos Jogos Parapan-Americanos Toronto 2015.

Na sexta-feira, as maiores esperanças do Brasil são a velocista Terezinha Guilhermina, o nadador Andre Brasil e a judoca Lúcia Teixeira. A veterana Terezinha, que disputará os Jogos pela quarta vez, estreia no Rio nos 100m rasos da classe T11 do atletismo com chance real de ouro. Campeã da prova em Londres 2012 e em duas edições do Campeonato Mundial, a mineira de 37 anos terá como principal desafio superar a chinesa Cuiqing Liu, que a venceu no Mundial de 2015. Na piscina, Andre Brasil compete em uma das especialidades dele, os 50m livre da classe S10. Ele é o recordista mundial da prova, que venceu nos Jogos Pequim 2008 e Londres 2012 e nas últimas quatro edições do Campeonato Mundial. Já Lúcia ganhou a prata na categoria até 57kg da classe B2 do judô em Londres 2012 e sonha ainda mais alto desta vez.

O Brasil busca o quinto lugar no quadro geral de medalhas dos Jogos Rio 2016 e espera superar a sétima posição dos Jogos de Londres, quando conquistou 21 ouros, 14 pratas e oito bronzes. A delegação brasileira será a maior da história, com 287 atletas (185 homens e 102 mulheres) em 22 modalidades.