André Brasil apresenta medalhas dos Jogos Paralímpicos Rio-2016

As medalhas de prata e bronze conquistadas por André no Rio de Janeiro (Foto: Paula Mascára)

Paula Mascára
16/09/2016
19:02
Rio de Janeiro (RJ)

O resultado dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 para André Brasil até o momento foram as três medalhas conquistadas: bronze nos 100m borboleta classe S10, prata nos 100m livres classe S10 e prata no revezamento 4x100m livre de 34 pontos. Mais do que isso, o nadador viveu a emoção única de competir com o apoio incondicional da torcida brasileira e de sua mãe e fã número um, dona Tânia. E foi também ao lado dela que o atleta apresentou os detalhes dos seus novos “tesouros” - confira no vídeo abaixo.


O desempenho dos torcedores nas arquibancadas das competições da Paralimpíada surpreendeu André. Além da presença em massa nas arenas de competição, ele também gostou de ver como os brasileiros souberam lidar com as particularidades que cada modalidade exige. Na natação, por exemplo, o público precisa respeitar o momento antes da largada em total silêncio.

- As pessoas souberam entender como funciona, está sabendo transmitir energia pros atletas. E tem sido como no futebol, são a 12ª camisa - afirmou o nadador, que espera que o apoio continue após os Jogos.

- Nossas vida de atleta continua após a Paralimpíada e as competições não vão parar. Sempre é gratuito e a gente espera que as pessoas comecem a acompanhar um pouco mais, que a gente tenha uma visibilidade um pouco maior. Brincando com a natação, posso dizer que esse é nosso divisor de águas. As pessoas puderam entender que apesar da deficiência, todo mundo tem a capacidade de produzir alguma coisa se você tem oportunidade - disse.

André também falou sobre os planos para o futuro. Após um curto período de férias para descansar e curtir a família, ele começa a se preparar para as próximas competições já mirando os Jogos de Tóquio-2020, que pode ser seu último ciclo olímpico.

- Talvez sejam meus últimos Jogos, ainda não sei e é difícil pensar em parar. Mas tenho me preparado e colocado na minha cabeça que preciso fazer outras coisas fora esporte. E curtir, curtir como nunca. Momentos como esse que vivenciamos aqui no Rio, vão ser raros e difíceis de ver - disse o atleta.