Rodrigo Dourado

Rodrigo Dourado completa 100 jogos pelo Internacional (Foto: Alexandre Lops / Divulgação / SC Internacional)

RADAR/LANCE!
16/11/2016
19:25
Porto Alegre (RS)

Rodrigo Dourado é uma referência no elenco do Internacional. Ponto de equilíbrio no meio de campo, o camisa 13 segue essa trajetória desde que chegou ao clube aos 12 anos de idade vindo de sua cidade natal, Pelotas. Nos profissionais, o caminho do atleta começou em 2012, em jogo pelo sub-23. Mas foi com Fernandão, à época técnico Alvirrubro, diante do Sport, pelo Campeonato Brasileiro daquele ano, que ele teve sua primeira chance de peso.

Hoje, prestes a completar 100 jogos pelo Colorado, Dourado relembra os momentos mais importantes na sua caminhada até aqui e a projeção a partir de agora. O atleta falou sobre essa marca histórica, mas destacou a necessidade de pensar nos atuais desafios do clube na reta final da temporada.

História no clube

– Como todos sabem, cheguei muito cedo ao clube, com apenas 12 anos. De lá pra cá, vivi momentos fantásticos. Quando fiz minha estreia pelos profissionais, em 2012, foi a realização de um sonho. Depois disso, amadureci muito e evoluí dentro e fora de campo. Conquistei títulos e, hoje, estou chegando a um número expressivo com a camisa do clube. A vontade é de seguir crescendo e dando ao torcedor colorado aquilo que ele sempre mereceu, que são conquistas importantes. É uma honra poder vestir a camisa do Inter – disse o volante.

Momentos inesquecíveis

– Guardo muitos momentos importantes e inesquecíveis na memória. O primeiro título na base, treinadores que me ensinaram muito e amigos que fiz. Mas, como profissional, lembro com muito carinho de ter tido a chance de estar ao lado do Fernandão e poder conviver e aprender com esse que foi um dos maiores ídolos da história do clube. Ele me deu a oportunidade de dar um passo à frente na minha trajetória no Inter, diante do Sport-PE, no Brasileirão de 2012. Coincidência ou não, meu primeiro gol pelos profissionais foi justamente contra o mesmo Sport, no ano passado. São momentos que ficarão pra sempre na minha memória – ressaltou Dourado.

O jogo contra a Ponte Preta

– Essa marca é importante demais pra mim, mas o atual momento é superior a qualquer marca pessoal. Deixo tudo para trás, pois precisamos de uma vitória nesta quinta-feira contra a Ponte Preta, no Beira-Rio. Nada é mais importante agora do que esse jogo. O torcedor pode ter a certeza de que entraremos em campo com toda a vontade possível. Temos que honrar essa camisa do início ao fim – definiu o camisa 13.