Gustavo em partida do Porto, na Champions League/ Foto: PF - arquivo pessoal

Gustavo em partida pelo Porto, na Champions League/ Foto: PF - arquivo pessoal

Bruna Souza, blog Dois Minutos e Lance!
14/01/2016
21:46
Porto (POR)

Nas aulas de educação física jogar handebol era uma divertida tarefa de aula, mas aos poucos o esporte foi se tornando uma atividade séria. O handebol virou profissão para Gustavo Rodrigues, 20 anos, considerado o melhor jovem jogador de handebol da Europa na temporada 2015/2016. O brasileiro que também integra a Seleção Brasileira Júnior, esteve presente na conquista da Seleção Adulta no Torneio das Quatro Nações 2015, e atuou anteriormente no IHC e no Pinheiros, no está há cerca de seis meses em Portugal, onde defende o Porto. Gustavo comemora o título, no entanto, sabe que é apenas o começo de uma carreira que ainda precisa muito ser trilhada.

2 Minutos: Gustavo recentemente recebeste o prêmio de melhor jovem jogador da Europa na temporada 2015/2016. Como fostes informado sobre a vitória na votação realizada pela EHF?

Gustavo Rodrigues: Foi uma surpresa para mim! Eu estava de “férias” no Brasil pra passar as festas de Ano Novo e do nada um monte de gente começou a me marca no facebook e quando fui ver eu estava concorrendo a melhor rookie. Foi uma surpresa absurda para mim! Eu não esperava isso! E ainda mais ter ganho esse prêmio foi uma surpresa muito boa! Fiquei muito feliz por toda a repercussão que isso deu! Das pessoas votarem a mim! Foi muito demais!

2 Min: Desde a divulgação do resultado são inúmeras as manifestações sobre a tua conquista tanto por torcedores do Brasil tanto de Portugal. Como estás lidando com esse assédio?

Gustavo: Está sendo muito legal todo esse assédio! O prêmio repercutiu demais! Até mais do que eu imaginava! Ontem mesmo eu estava dando uma entrevista para um canal esportivo. Uma coisa que nunca imaginei que eu faria na vida!

2 Min: Acredita que esse prêmio é um reconhecimento do que está fazendo como profissional e um incentivo ao teu desenvolvimento?

Gustavo: Esse prêmio me motivou a trabalhar mais ainda para alcançar meus objetivos! Muito bom ter esse reconhecimento!

2 Min: Fostes para Portugal em julho passado, correto? Como foi essa adaptação no Porto e ao novo país?

Gustavo: Na verdade cheguei aqui em Porto em agosto, logo depois do Mundial Júnior que ocorreu no Brasil. E minha adaptação foi bem melhor do que eu esperava! Meus companheiros me receberam muito bem e a cidade do Porto é muito gostosa de morar! O mais difícil está sendo o frio, mas não é nada demais.

2 Min: Como começaste a jogar handebol e o que te levou a escolher este esporte?

Gustavo: Eu sempre joguei na educação física na escola e um dia fizemos um amistoso contra o time da cidade (Indaiatuba, SP). Depois disso o técnico da cidade me chamou pra treinar com eles e foi aí que eu comecei. Escolhi esse esporte por que me sinto bem demais dentro de quadra é um sentimento que não dá pra explicar!

2 Min: Como foi defender a Seleção Brasileira pela primeira vez, ainda nas bases?

Gustavo: Primeira vez que fui convocado para a Seleção foi sensacional eu fiquei muito feliz. A primeira vez a gente nunca esquece, né!

2 Min: Como foi para ti a transição da Seleção de Base para a Seleção Adulta?
Gustavo: Por enquanto não fui muitas vezes convocado para a Seleção Adulta, porém essa transição não vai ser muito difícil por que os trabalhos que fazemos na base são os mesmos que eles fazem na adulta. Então vai ser praticamente a mesma coisa só que com um nível de exigência muito mais alto.

2 Min: Ao longo da tua carreira, quais foram os maiores empecilhos no desenvolvimento da tua carreira? Quais foram os maiores fatores para o teu desenvolvimento?

Gustavo: As maiores dificuldades que eu tive na carreira foram a duas cirurgias que tive é que fazer. Uma no joelho, e logo em seguida, quando eu estava pronto para voltar a jogar quebrei a mão no último treino.
Eu sempre tive bons treinadores e ótimos companheiros de equipe! Sendo assim o treino rende muito e fica fácil evoluir!

2 Min: Tu já consegues identificar as principais diferenças do handebol português para o brasileiro?

Gustavo: Sim. O handebol aqui (Portugal) está mais evoluído que no Brasil e também os times têm muito mais apoio de patrocinadores e com isso a estrutura deles acaba sendo bem melhor.

2 Min: O que espera das Olimpíadas Rio 2016?

Gustavo: Dos Jogos eu espero que o Brasil faça sua melhor campanha em uma Olimpíada! Tem time pra isso e o Jordi (técnico da Seleção Adulta) sabe o que faz. Tenho certeza que vamos ir muito bem! Espero que possamos chegar até as semis! Depois disso é um campeonato completamente diferente.

2 Min: Para encerrar. O que podes dizer para os atletas que estão começando e querem seguir na carreira de jogador de handebol?

Gustavo: O que eu tenho pra dizer a eles é correm atrás dos seus sonhos e lutar por isso! Treinar duro todos os dias que um dia as coisas começam a dar certo!

Gustavo Rodrigues em jogo pela Seleção Brasileira/ Foto: arquivo pessoal
Em partida pela Seleção Brasileira/ Arquivo pessoal do atleta

Matéria atualizada às 21h45.

Veja mais: Gustavo Rodrigues é eleito o melhor jovem jogador da Europa