Monten Soubak em treino com a Seleção Feminina/ Foto: CBHb

Monten Soubak em treino com a Seleção Feminina/ Foto: Cinara Piccolo - Photo&Grafia - CBHb

Bruna Souza, Dois Minutos
01/04/2016
23:33
Porto Alegre (RS)

Desde a penúltima semana de março, já se conhece as 12 seleções que defenderão seus países no handebol feminino nas Olimpíadas Rio 2016, pois o último torneio classificatório ocorreu. Saber com antecedência as seleções concorrentes, é essencial para o planejamento da Seleção, explicou Morten Soubak, técnico da Seleção Brasileira Feminina.

Com quatro meses de antecipação, a equipe nacional poderá estudar as concorrentes e desta forma conhecer os pontos mais fortes e mais fracos de cada equipe, além de ajudar na correção dos erros do grupo brasileiro. "É bom saber e conhecer desde já as 12 equipes que irão disputar os Jogos Olímpicos. Está claro para todos que será uma competição de alto nível com uma grande briga. Todos os técnicos estão se preparando para isso", disse Morten.

Ele salientou que atualmente estamos vivendo um equilíbrio bastante forte no handebol feminino, e isso é demonstrado quando percebemos que potências no esporte como a Dinamarca, Polônia, Hungria e Alemanha ficam de fora dos Jogos. "Isso mais uma vez vem confirmar o que tenho dito sempre, que mais países estão tendo um grande desenvolvimento nas Seleções Femininas. E, isso é independente da tradição, história, se tem uma liga forte no País ou não. Na categoria Adulta está muito equilibrado", enfatizou Morten.

A Seleção Brasileira em Londres conquistou o sexto lugar, e tem como meta subir ao pódio da Rio 2016. O handebol nas Olimpíadas começam a ser disputadas a partir do dia 6 de agosto, na Arena do Futuro, no Rio de Janeiro (BRA). Antes da competição começar, no dia 29 de abril, será sorteado as chaves em que cada seleção fará parte. Além do Brasil, país Sede, e da Noruega, campeã olímpica em Londres 2012, participarão Argentina, Angola, Coréia do Sul, Espanha, Holanda, Romênia, Rússia, Suécia, Montenegro e França.