Coritiba x Grêmio

Coritiba goleou o Grêmio por 4 a 0  (Foto: Reinaldo Reginato/Fotoarena/Lancepress!)

RADAR/LANCE!
08/09/2016
00:42
Curitiba (PR) 

O treinador do Grêmio Roger Machado falou sobre a goleada sofrida pelo time gaúcho para o Coritiba na noite desta quarta-feira, fora de casa, no Couto Pereira. Comandante assumiu responsabilidade por mau desempenho do time no duelo contra os paranaenses e afirmou que é difícil falar sobre o que aconteceu e explicar.

- Difícil explicar o resultado. A partida começou equilibrada, com o Coritiba tendo vantagens em algumas jogadas. Nos últimos seis, sete jogos, a bola parada não vinha entrando e hoje entrou, Em três saídas nossas, permitimos o contra-ataque. É difícil explicar um placar tão elástico. O que temos que analisar é que não foi uma noite nada boa. Temos que lamber as nossas ferias e olhar pra frente. O adversário fez um grande jogo. Abri uma linha mais defensiva no segundo tempo. Um jogo para esquecer. Aprender com os erros para no domingo reverter.

Treinador foi questionado sobre o esquema com três volantes que mandou a campo e diversas finalizações equivocadas durante os noventa minutos contra o Coxa.

- Com relação ao esquema, a alternativa encontrada para a saída do Giuliano foi ter dois médios-apoiadores para ter a eficiência do Giuliano pelo lado do campo. Em outros dois jogos, funcionou bem. Não funcionou contra o Botafogo e hoje. Tratamos de equilibrar nossas linhas, os gols foram de bola parada e contra-ataque. Eu trabalho finalizações, é questão de eficiência. Treinador erra e acerta. Com um ano de cargo, acredito ter acertado muito mais. Não é em função do insucesso que vou me caracterizar como um treinador que erra no esquema, treinamento. Hoje, errei. A responsabilidade é toda minha.

Próximo duelo do Grêmio será contra o Palmeiras, na Arena do Grêmio e Roger quer aproveitar o tempo que tem para treinar e melhorar time para ir em busca dos três pontos contra o alviverde paulista, que é líder do Brasileirão.

- Depois da derrota para o Botafogo, o ideal era vencer o Coritiba. Cada compromisso é uma oportunidade. A próxima é sempre a mais importante. É contra o líder, com a nossa vontade de apagar esta imagem. Neste momento nada mais serve, não sirvo como técnico os jogadores não servem. É levantar a cabeça. Embora o tropeço, o trabalho tem que seguir e recuperar a confiança do vestiário.