Raul Mendes e Romildo Bolzan Júnior

Raul Mendes e Romildo Bolzan Júnior são os candidatos à presidência do Grêmio (Foto: Divulgação/Grêmio)

Melissa Gargalis 
12/11/2016
07:20
São Paulo (SP)

O futuro do Grêmio começa a ser definido neste sábado. Dentro de campo, o Tricolor tenta findar o jejum de grandes títulos tendo pela frente o Atlético-MG na decisão da Copa do Brasil no fim deste mês e ainda podendo se garantir na Libertadores-2017 via Brasileirão. Já fora dele, o sábado será de eleição presidencial para o triênio 2017/2018/2019.

O atual presidente Romildo Bolzan Júnior concorre com Raul Mendes, em pleito a ser realizado entre 10h e 17h (de Brasília). Caso vença, Mendes terá Danrlei e Hugo de León, ídolos do Grêmio, como integrantes de seu departamento administrativo. Com exclusividade ao LANCE!, Bolzan analisou a gestão que comandou e definiu as prioridades para sua manutenção no cargo nos próximos três anos. 

- Tivemos um processo que reduziu a dívida do Grêmio, que estabilizou as finanças e melhorou suas receitas. Também conseguimos fazer boas campanhas e criamos a perspectiva de um futebol forte.  Se for reeleito, a ideia é tornar o time cada vez mais forte para os campeonatos que participa e, claro, manter essa política de muita responsabilidade administrativa e financeira - projetou. 

Raul Mendes, por sua vez, terá como objetivo encerrar o jejum de 15 anos do Grêmio sem levantar um título de expressão. 

- Vamos focar naquilo que o associado mais quer. O Objetivo será ter um futebol forte, vitorioso e campeão. A partir daí, melhorar todos os outros setores. Trabalhar duro nas categorias de base, estabelecer um relacionamento melhor com a torcida, investir no marketing e ter o equilíbrio econômico, que é essencial. 

Com a decisão nas mãos, exatos 38.201 sócios tricolores estão aptos a votar neste sábado. Confira abaixo quais são as principais propostas e o que pensa cada um dos candidatos:

Romildo Balzan Júnior - Candidato da Situação

Visto que sua gestão neste mandato foi voltada para o equilíbrio financeiro do Grêmio, o que o torcedor pode esperar caso seja reeleito? 

- Espero melhorar os investimentos da base, apostar em um futebol no que diz respeito a investimentos, montar um time competitivo, cada vez mais forte nas disputas dos campeonatos que participa, mas sempre mantendo essa política de muita responsabilidade administrativa e financeira.

Em relação ao planejamento para o ano de 2017. Quais são as mudanças previstas?

-  Estamos completamente focados em terminar o Brasileiro. Ainda temos jogos importantes e temos a perspectiva de G6, além da copa do Brasil para garanti a vaga na Libertadores.  Vamos tentar fazer bem as duas coisas. Tudo dando certo, já estamos com um bom banco de dados para avaliar jogadores e reforçar o plantel.

Renato será mantido como técnico do clube?
- Permanece no Grêmio. Permanece.

Como analisa a candidatura da oposição. Acredita que o fato de Raul Mendes contar com ídolos do clube ao seu lado pode favorecê-lo? 
Nada garante que ex-jogador , tem que ter currículo. Eu tenho para mim  que isso deve influenciar a decisão do sócio, mas sim o conjunto de uma obra de austeridade, de perspetiva de futebol seguro, competitivo e de um clube estruturado. É isso que vai nortear o voto do sócio do Grêmio.

***


Raul Mendes - Candidato da oposição

Qual será o principal objetivo da sua gestão?
- Vamos focar naquilo que o associado mais quer. O Objetivo será ter um futebol forte, vitorioso e campeão. A partir daí, melhorar todos os outros setores. Trabalhar duro nas categorias de base, estabelecer um relacionamento melhor com a torcida, investir no marketing e ter o equilíbrio econômico, que é essencial.

Se vê em vantagem por contar com o apoio de grandes ídolos do Grêmio?
- Favorece porque não só vestimos a camisa do clube e conquistamos títulos importantes, mas porque são pessoas com experiência tanto dentro quanto fora das quatro linhas, são conhecedores do mercado, o que também facilita muita coisa. Não é somente contar com ex-atletas, são pessoas preparadas, isso que é o mais importante. 

Como é para você ter essa oportunidade de fazer parte da gestão de um clube pelo qual tem grande identificação?
- É uma honra, tive vários momentos de glórias e de alegria com o clube. O Grêmio me deu toda minha formação, isso não tem preço. É um vínculo emocional muito grande e eu quero resgatar isso se for eleito. Hoje tenho a oportunidade de retribuir ao Grêmio. 

Como pretende fazer com que o Grêmio tenha um modelo financeiro livre de dívidas?
- ​Quando se tem um futebol eficiente, que se obtém resultados, um futebol campeão, entram os recursos necessários para se fazer uma política de economia equilibrada. Para isso, tem que contratar e investir bem. Não falo para fazer gastos exorbitantes, mas gastar bem, com critério para ter os resultados como consequência.