LANCE!
16/12/2017
19:34
Abu-Dhabi (EAU)

Pedro Geromel fez tudo o que pôde para impedir o ímpeto do Real Madrid (ESP), na final do Mundial de Clubes, em Abu-Dhabi (EAU). Contudo, ele não conseguiu impedir uma cobrança de falta perfeita de Cristiano Ronaldo e a grande atuação do croata Modric, que garantiram a vitória dos espanhóis por 1 a 0 e impediu o sonho do bicampeonato mundial do Grêmio. A atuação ruim do restante do time foram cruciais. Veja as notas do Lance! da grande decisão da competição internacional.

GRÊMIO
​6,0
Marcelo Grohe
Fez o que esteve ao seu alcance para evitar o pior. Foi traído pela barreira no gol que decidiu o título para o Real.

5,0
Edílson
Foi inoperante no ataque. Não mostrou seu repertório ofensivo e só levou perigo em uma cobrança de falta.

6,5
Pedro Geromel
Depois de deixar sua marca em CR7, fez o que mais sabe: precisão nas antecipações e desarmes. Boa atuação contra os melhores.

6,0
Kannemann
Não foi tão preciso quanto Geromel, mas mostrou qualidade quando precisou fazer desarmes. Real não se criou dentro da área.

5,5
Cortez
Sobrou luta do lateral-esquerdo gremista. Garantiu opção na esquerda, mas não foi eficaz.

5,0
Michel
Não possui as mesmas características de Arthur e, ao seu modo, tentou conter o ímpeto do Real Madrid. Não apareceu bem no ataque.

5,5
Jailson
Outro valente batalhador encarando Kross e Modric no meio. No maior desafio da carreira, mostrou muita luta.

4,5
Ramiro
Era quem deveria ter auxiliado Luan e até assumido a responsabilidade na criação. Mas teve atuação sem brilho. Merecidamente substituído.

4,0
Luan
Atuação muito abaixo do esperado para quem é a referência técnica do time. Tomou decisões equivocadas e deixou muito a desejar.

5,5
Fernandinho
Lutou muito, tentou criar oportunidades e se livrar da marcação do Real Madrid.

4,5
Lucas Barrios
Completou dez partidas consecutivas sem gols, encerrando o ano em baixa. Foi, merecidamente, substituído.

5,5
Jael
Muita luta – sua principal característica. Não foi desta vez que, enfim, marcou seu primeiro gol com a camisa do Grêmio.

5,0
Everton
Decisivo na semifinal, não repetiu o roteiro visto contra o Pachuca. Deveria ter sido mais incisivo.

5,5
Maicon
Teve dez minutos em campo e tentou fazer a diferença. Quase deixou Cortez na boa dentro da área.

5,0
Renato Gaúcho
Não faltou luta, mas o Grêmio dependia da inspiração de Luan e da precisão de Barrios e Arthur voltou a fazer muita falta.

REAL MADRID (ESP)
​6,0
Keylor Navas
Não precisou fazer nenhuma defesa fruto de arremates do Grêmio – a falta cobrada por Edílson foi a única finalização.

6,0
Carvajal
Ainda não voltou a apresentar o seu melhor futebol após ficar afastado por um problema cardíaco. Fez o simples e foi eficaz.

6,0
Varane
Teve espaço para buscar o ataque e mostrou que está recuperado dos problemas físicos. O que será ótimo para o “El Clássico”.

6,0
Sérgio Ramos
Soberano na defesa, liderou o time a partir da defesa. Se deu ao “luxo” de não fazer aquele gol decisivo.

7,0
Marcelo
Mostrou toda a sua habilidade e, desde o início do jogo, foi um dos melhores do Real em campo. Sobra no setor.

6,5
Casemiro
Levou um merecido cartão por falta em Luan, escapou de outro, mas, na sequência, “voltou ao normal” e fez o que mais sabe: jogar muita bola.

7,5
Modric
Transbordou categoria. Passes, inversões e lançamentos perfeitos. Ainda levou perigo quando finalizou, já que acertou a trave esquerda de Grohe.

6,0
Kross
Fez o “básico”, facilitando a transição do meio para o ataque. Mas o seu “básico” o faz ser diferenciado. Fundamental na saída de bola.

6,0
Isco
Levou perigo se aproximando da área, tentando infiltrações e fazendo lançamentos. Saiu mais por cansaço.

7,0
Cristiano Ronaldo
Após um primeiro tempo “apagado”, foi decisivo ao vencer Grohe, marcou outro – corretamente anulado – e chamou a responsabilidade.

5,0
Benzema
Provou, mais uma vez, que a fase não é das melhores. Não seria nenhum exagero perder a vaga de titular.

5,5
Lucas Vazquez
Tentou aproveitar a chance recebida, mas pecou por não ser tão efetivo nas chances que teve.

6,0
Bale
Muito mais efetivo que Benzema. Pode até voltar a ser titular na vaga do francês – o que mudaria a característica do time.


6,0
Zinedine Zidane
Como era esperado, o Real tomou conta do jogo e foi criando chances. A goleada só não veio pela falta de precisão dos seus comandados.