Londrina x Cruzeiro - Germano

Na semifinal, o Londrina eliminou o Cruzeiro em um jogo emocionante, decidido nos pênaltis (Foto: Gustavo Oliveira/Londrina EC)

LANCE!
06/09/2017
08:55
Curitiba (PR)

A grande atração da edição 2017 da Primeira Liga é o Londrina. A equipe paranaense eliminou na fase mata-mata Fluminense e Cruzeiro e agora decide o título da competição contra o Atlético-MG, em outubro. Se é apontado como uma surpresa por muita gente, para o clube não é nenhum pouco. É apenas mais um grande momento do projeto, que já dura mais de seis anos e que aposta na estrutura e no trabalho a longo prazo.

Para se ter uma ideia, o técnico Cláudio Tencati está no cargo desde abril de 2011, sendo o treinador há mais tempo no cargo no futebol brasileiro. Além disso, o clube conta com o moderno Centro de Treinamento SM Sports e se notabiliza pela responsabilidade financeira.

Por conta disso, a classificação para a final da Primeira Liga não é vista como um ponto fora da curva, mas sim mais um bom momento do time neste projeto. Porém, o técnico Cláudio Tencati reconhece que as circunstâncias que a vaga para a decisão veio não são normais: gol de pênalti no último minuto, o que empatou o duelo e levou a disputa para as penalidades máximas.

- Isso é que é o bom do futebol. Falei para os atletas na reapresentação, pois perdemos um jogo para o Luverdense faltando 30 segundos, após uma cobrança de escanteio. Agora, contra o Cruzeiro, foi a mesma coisa. Martelamos o tempo todo, reagimos a esse momento de frustração, com eles abrindo 2 a 0, recuperamos bem e veio a recompensação no último minuto, com o empate. E nos pênaltis felizmente fomos mais competentes. Para quem estava no estádio foi maravilhoso. Isso demonstra a essência do futebol: tudo é possível - aponta o técnico Tencati.

Se muitos clubes não valorizaram a Primeira Liga - o próprio Cruzeiro jogou com a equipe reserva a semifinal - o clube paranaense encara a competição com o máximo respeito possível. 

- Para o Londrina é de extrema importância. É uma competição nova, mas com clubes de tradição e camisa desde a primeira fase. Nós estamos debutando na competição, é como um prêmio para o Londrina, pois é como se fosse uma Copa do Brasil e nós estamos na final. O Fluminense não jogava contra nós aqui há 20, 30 anos. Tivemos o Cruzeiro na semifinal e agora teremos o Atlético-MG. Estar vivendo isso e resgatando para a cidade e clube está sendo fantástico - comemora Tencati.

Apesar de tudo isso, o comandante do Londrina freia a empolgação do elenco e torcida. Isso porque a decisão contra o Galo será somente no dia 08 de outubro. Até lá, o Tubarão tem seis jogos pela Série B do Campeonato Brasileiro.

- O nosso foco muda, temos vários jogos de Série B. O nosso sonho é o acesso, então não consigo dimensionar ainda esta final. Devido a interrupção, perde-se um pouco da empolgação. Mas será um grande jogo, o Atlético-MG já valorizou a semifinal contra o Paraná e certamente fará isso na final. É importante para eles também, até pelo Micale - analisa Tencatti.

Há seis anos e cinco meses no cargo, o treinador vive a expectativa de conquistar mais um título no comando do Tubarão. Tencati espera que o trabalho dele sirva de exemplo para outros clubes do futebol brasileiro

- Conseguimos demonstrar que esse trabalho é consistente pela longevidade. A longevidade se justifica pelo resultado. Muios dizem que tenho a confiança do Sérgio Malucelli, por isso não saio. Mas é a o contrário: isso tudo é em virtude dos resutados. A trajetória nossa é da Série B do Estadual para a Série B nacional. Isso mostra que vale a pena acreditar na longevidade dos treinadores, tem que servir de exemplo - espera o treinador.

No entanto, ele garante que, apesar da boa convivência com o gestor Malucelli, existem muita cobranças entre eles.

- A relação não é só de flores. Tem cobranças, e elas são fortes. Tem momentos de discussão, por isso não me acomodo. E eu gosto disso. Temos que buscar alternativas o tempo todo, seja para reerguer atletas, melhorar o coletivo da equipe e outras coisas do dia a dia. Mas a diferença é que quando chega em um momento difícil ele dá mais um voto de confiança, o que não ocorre em outros clubes. E sempre que ele faz isso conseguimos os resultados.

E um desses casos em que recebeu o voto de confiança e conseguiu o esperado aconteceu recentemente, conforme revela Cláudio Tencatti.

- Após a derrota pro Figueirense, vinhamos de derrota pro Criciuma e empate com o Juventude. Houve duas reuniões de cobranças, com a possibilidade de troca. Pedi mais uma chance, que foi contra o Paysandu. Recebi a chance, vencemos fora e voltamos para casa e vencemos. Fizemos quatro vitórias e dois empates nos jogos após essas reuniões - relembra.