Pachequinho

Pachequinho comandou o Coxa diante do Tricolor paulista. (Divulgação/Coritiba)

Guilherme Moreira
26/05/2016
02:50
Curitiba (PR)

Pela terceira vez no ano, os torcedores do Coritiba se irritaram e cobraram a saída do técnico Gilson Kleina. Mesmo suspenso e sem comandar a equipe, o treinador foi lembrado após o empate por 1 a 1 contra o São Paulo nesta quarta-feira, no Estádio Couto Pereira, pela Série A.

Com uma vitória, uma igualdade e um revés em três rodadas do Campeonato Brasileiro, o time paranaense ocupa a décima colocação, com quatro pontos. A falta de paciência da torcida, entretanto, passa mais pelo vice-campeonato no Estadual para o rival Atlético-PR, no agregado por 5 a 0, e é acumulada pelo desempenho atual.

Durante o Campeonato Paranaense, o comandante coxa-branca chegou a ter seu cargo ameaçado e, depois de vencer os clássicos contra Paraná e Furacão com autoridade, a equipe embalou e chegou à final com a melhor campanha geral. As derrotas apáticas nas decisões, por outro lado, voltaram a agravar o cenário e piorou com a eliminação em casa para o Juventude, na semana passada, pela Copa do Brasil, ainda na segunda fase.

No empate da noite passada, o São Paulo foi superior na maior parte da partida e, mesmo saindo atrás do placar, conseguiu buscar e somar um ponto. Pachequinho, que substituiu Kleina na beira do comando, contou com os retornos do ala Ceará e meio-campista Juan, ausências importantes nas finais estaduais, mas os problemas no desenvolvimento das jogadas continuaram iguais. 

- Na ausência do Gilson hoje trabalhamos juntos na estratégia, e fomos nesta linha, mas não conseguimos vencer. Sabemos que no futebol o que vale é o resultado. Estamos trabalhando muito, e a bola vai começar a entrar - declarou o auxiliar-técnico.

Após o apito final, os poucos mais de 9 mil pagantes vaiaram a atuação alviverde e pediram a saída de Gilson Kleina. O treinador tem 26 jogos na temporada, com 13 vitórias, cinco empates e oito derrotas entre Paranaense, Copa do Brasil, Primeira Liga e Brasileirão.