Chapecoense x Atlético-PR

Por falta de visibilidade, partida em Chapecó foi adiada. (Gustavo Oliveira/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
22/06/2016
22:02
Curitiba (PR)

O adiamento da partida entre Chapecoense e Atlético-PR para quinta-feira, às 15h, na Arena Condá, pela décima rodada da Série A, foi criticado pelo técnico Paulo Autuori. O comandante do Furacão não gostou do horário estabelecido.

A bronca do treinador é que, nas conversas entre os representantes dos clubes envolvidos durante o imbróglio sobre o tempo na cidade catarinense, o período da manhã era consenso. Opinião que não influenciou na decisão. 

- O que não é aceitável é a falta de bom senso da CBF. Porque tem profissionais envolvidos, tem viagem. A Chapecoense vai viajar para Recife. Esses jogo poderia ser pela manhã. Mas como sempre os interesses comerciais... E os profissionais é que se virem. Os clubes decidiram que o melhor seria o jogo às 11 horas - reclamou.

Entretanto, a entidade máxima do futebol brasileiro alega que "o Regulamento Geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é quem define que o jogo é às 15h". Mesmo com a justificativa, o treinador rubro-negro desaprovou o horário definido.

- Não vou falar de prejuízo técnico, porque isso acontece. É algo da natureza, mas o problema é o interesse comercial. Falaram em regulamento, mas muitas vezes não se cumpre e desta vez, não pensaram no bem dos clubes - finalizou.

Mesmo com a neblina no campo, na volta do intervalo, o jogo chegou a começar normalmente e, logo na sequência, a arbitragem decidiu interromper.
Depois de 30 minutos de espera, a decisão do árbitro Francisco Carlos Nascimento (AL) foi de transferir o confronto para o dia seguinte. O duelo, que foi paralisado pela forte neblina em Chapecó, recomeçará com um minuto do segundo tempo.