Tcheco (de jeans) e Rodrigo Pastana (de jaqueta preta) acompanharam o duelo contra o Tupi na Vila Capanema

Tcheco (de jeans) e Rodrigo Pastana (de jaqueta preta) acompanharam o duelo contra o Tupi na Vila Capanema (Foto: Rádio Transamérica Curitiba)

Guilherme Moreira e Daniel Piva
01/12/2016
17:51
Curitiba (PR)

As reformulações iniciadas no departamento de futebol do Paraná tiveram três baixas nesta semana. Os ex-jogadores Tcheco e Ageu, além do profissional Rodrigo Pastana, que estavam nos planos do clube paranaense, não ficarão no clube para 2017. Tudo voltou à estaca zero.

A reportagem do Lance! apurou as informações com os envolvidos nesta quinta-feira. Tcheco, que assumiria a gerência de futebol, admitiu que, nos detalhes finais, voltou atrás na decisão de aceitar o cargo.

- Estávamos conversando e acertando questões de trabalho , mas não chegamos num acordo - afirmou.

Já Pastana, que se desligou do Guarani após conseguir o vice-campeonato da Série C, também passou pela mesma situação. O executivo de futebol não entrou em consenso com a direção paranista sobre o planejamento para a próxima temporada.

A contratação de ambos foi adiantada pelo L! na última rodada do Campeonato Brasileiro, na derrota por 2 a 1 para o Tupi - os dois estiveram na Vila Capanema acompanhando o confronto. Hélcio Alisk, gerente de futebol, teve seu desligamento oficializado no mesmo dia.

Por fim, o auxiliar-técnico Ageu não renovou seu vínculo. Contratado no fim de setembro, junto com a chegada do então técnico Roberto Fernandes, já demitido, o ex-zagueiro do Paraná fez parte da comissão técnica até o final da Série B, prazo do seu contrato. Com discordâncias em relação a direção, ele decidiu não continuar a princípio. Antes, o auxiliar foi bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro, em 2013 e 2014, e da Copa do Brasil com o Palmeiras, em 2015, ao lado de Marcelo Oliveira.

- Meu contrato venceu dia 26 (de novembro). Estou esperando um contato. Estou tranquilo e esperando uma proposta - declarou.

A reportagem tentou contato com o presidente Leonardo Oliveira, mas não foi atendida. A assessoria de imprensa, até o fechamento da matéria, também não se pronunciou. O clube trabalha para tentar convencê-los a ficar.

Salários atrasados

Além de ter que resolver a desistência dos profissionais, o Paraná está com problemas salariais no elenco. A promessa da direção de deixar tudo em dia não foi cumprida, com o vazamento explodindo nesta semana.

De acordo com o jornal Gazeta do Povo, o Tricolor deve dois meses de atraso no pagamento de direitos de imagens — que representam até 80% da remuneração mensal em alguns casos. Os vencimentos em carteira também completam dois meses sem pagamento daqui quatro dias.

Como se não bastasse o atraso, a diretoria ainda fez o adiantamento de salários para apenas um grupo de jogadores, em detrimento dos demais atletas, o que causou revolta dentro do grupo.