Robson

Robson marcou o gol da vitória no clássico da primeira fase, na Vila Capanema. (Divulgação/Paraná)

Guilherme Moreira
23/04/2016
12:00
Curitiba (PR)

Precisando vencer o Atlético-PR no domingo, às 16h, no Estádio Durival Britto e Silva, o Paraná espera fazer valer o mando para chegar à final do Campeonato Paranaense. O bom retrospecto no ano inspira os jogadores.

Pelo jogo de ida da semifinal, o Tricolor perdeu por 2 a 1 para o Atlético-PR e, se quiser passar de fase direto, tem que ganhar por dois gols de diferença - um gol leva a decisão para os pênaltis. No primeiro turno, a equipe paranista bateu o adversário por 1 a 0, gols do atacante Robson.

- Tivemos um pequeno tropeço lá, mas dentro de casa temos que mostrar que quem manda somos nós. Teremos que fazer uma bela partida e sem erros para, se Deus quiser, sair com a vitória. É determinação, vontade e raça em campo com o apoio da torcida para a gente sair com a vitória. Temos que ter a mesma pegada e disciplina para não sairmos derrotados de novo - declarou o camisa 11. 

Em jogos sete disputados na Vila Capanema neste ano, entre Estadual e Copa do Brasil, o Paraná venceu cinco partida, empatou uma e perdeu somente uma vez. Entretanto, contra o Furacão, o retrospecto no estádio não é animador.

Desde a reforma no local, em 2006, o Tricolor enfrentou o Atlético-PR em 11 oportunidades: seis derrotas, três empates e duas vitórias. O aproveitamento é somente de 27%. Mesmo assim, o técnico Claudinei Oliveira assume o favoritismo por jogar ao lado da torcida.

- Somos os favoritos, porque estamos jogando em casa e time mandante leva vantagem nos clássicos. Vamos respeitar o Atlético-PR e esperamos fazer o melhor jogo do ano. Em três partidas podemos nos sagrar campeões e vamos nos dedicar para isso - comentou o treinador paranista.

Confira o retrospecto geral do clássico:

34 vitórias do Atlético-PR
25 vitórias do Paraná
27 empates