Atlético-PR jogou com um time alternativo e acabou goleado na Arena Fonte Nova

Atlético-PR jogou com um time alternativo e acabou goleado na Arena Fonte Nova (Foto: Divulgação/ Bahia)

Daniel Piva
14/05/2017
18:05
Curitiba (PR)

Com direito a um primeiro tempo maluco, o Bahia goleou o Atlético-PR por 6 a 2 na tarde deste domingo, na Arena Fonte Nova, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O destaque ficou por conta do primeiro tempo, que teve sete gols. Até os 39 minutos, o placar era de 2 a 1 para o Furacão, mas acabou a etapa inicial 5 a 2 para o Bahia (quatro gols em sete minutos).

Nos minutos iniciais, o Atlético-PR iniciou trocando a bola, mas não conseguia criar. Já o Bahia arriscava mais. Aos quatro, o volante Juninho bateu da entrada da área, mas a bola foi pela linha de fundo. Aos dez, o ataque baiano fez boa jogada, mas na hora da finalização de Régis o zagueiro José Ivaldo conseguiu evitar a finalização.


Mas na primeira vez em que conseguiu concluir a jogada ao gol, o Atlético-PR foi fatal. Após boa jogada, Sidcley cruzou para Guilherme, que da entrada da área dominou e bateu com categoria para abrir o placar na Arena Fonte Nova.

Com o 1 a 0 no placar, o Atlético-PR até trocou alguns passes no primeiro momento, mas na sequência acabou dando a bola ao Bahia e se fechou, tentando buscar um contra-ataque. O contragolpe não foi encaixado e, assim, a equipe baiana encurralou o Furacão. Zé Rafael e Eduardo assustaram o goleiro Weverton, mas o gol de empate ocorreu aos 33, com o zagueiro Tiago, de cabeça, após cobrança de escanteio.

Devido ao gol de empate, o Atlético-PR voltou a procurar o ataque. O zagueiro Marcão teve duas oportunidades. A primeira ele parou no goleiro Jean, que defendeu uma cabeceada dele. Mas aos 37 ele não desperdiçou e recolocou o Atlético-PR em vantagem. 2 a 1.

Mas a partir daí o que se viu foi um desastre do sistema defensivo do Atlético-PR, sofrendo quatro gols em sete minutos. Aos 39, Zé Rafael empatou. Aos 41, Régis virou. Aos 43, Edigar Junio ampliou. E aos 46, novamente Régis. 5 a 2 Bahia.

Embora tenha adotado uma postura mais cautelosa no segundo tempo, o Bahia teve uma boa oportunidade logo aos 20 segundos, quando Zé Rafael bateu forte da entrada da área e assustou o goleiro Weverton.

Já o Atlético-PR novamente ficou com a bola, mas não conseguiu criar boas chances. A melhor ocorreu aos 19, quando Jonathan cruzou da direita e Douglas Coutinho cabeceou pela linha de fundo.

Se o time paranaense não assustava, o Bahia, quando ia para a frente, levava muito perigo. O volante Edson teve duas grandes chances. Aos 25, ele exigiu boa defesa do goleiro Weverton. E no minuto seguinte ele não perdoou e anotou o sexto gol do Bahia. 6 a 2.

Para deixar ainda mais dramática a situação do Atlético-PR, o zagueiro Marcão foi expulso de campo aos 29 minutos, por receber o segundo cartão amarelo. Mas como o Bahia estava satisfeito com o resultado o fator de ter um homem a mais não teve tanto efeito em busca de chances de gol. Na única criada, Maikon Leite bateu na saída de Weverton, mas o zagueiro José Ivaldo tirou a bola em cima da linha. 

Assim, o placar foi mesmo de 6 a 2 para o Bahia. Na quarta-feira, o time baiano tem a final da Copa do Nordeste, contra o Sport. Já o Atlético-PR enfrenta a Universidad Catolica, na última rodada do Grupo 4 da Libertadores da América.