Ponte Preta x Atlético-PR

Em noite sem inspiração, Furacão foi derrotado para a Macaca. (Gustavo Oliveira/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
16/06/2016
01:30
Curitiba (PR)

Derrotado por 3 a 2 nesta quarta-feira, no Moisés Lucarelli, pela oitava rodada da Série A, o Atlético-PR lamentou os gols bobos sofridos para a Ponte Preta. Dos três gols, pelo menos dois foram por falhas individuais do sistema defensivo.

Logo aos 2 minutos da primeira etapa, Pablo não conseguiu afastar a bola e cabeceou nos pés de Fábio Ferreira, que abriu o placar. Após Paulo André empatar ainda na primeira etapa, oito minutos depois, a defesa rubro-negra falhou na marcação no segundo tempo, e Reinaldo aproveitou para driblar Deivid e Paulo André, tocando no canto do goleiro.

A equipe sentiu o segundo gol e, quando ainda tentava se reorganizar, veio a jogada mais bizarra da partida. Wanderson caiu ao tentar tirar a bola em um contra-ataque, o arqueiro Weverton não conseguiu segurar a bola e trombou com o zagueiro, sobrando para Jefferson só rolar para as redes. 

- O Wanderson escorregou, se chocou. Os três gols foram falhas nossas, poderíamos sair com a vitória. Não fomos bem no segundo tempo e temos que voltar a vencer para tentar encostar na frente da tabela - afirmou o experiente defensor, que voltava de lesão neste jogo.

Walter, no final do confronto, ainda conseguiu descontar para o Furacão. Sem tempo para empatar, o time paranaense encerrou a sequência de duas vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro.

- Os gols foram fora do comum, né? A gente não sofre gol dessa natureza. Acontecem nos jogos, mas não devem acontecer. Erramos, e os gols fizeram o resultado. O adversário aproveitou nossas falhas e conseguiu sair com a vitória. Pela maneira como a gente sofre o gol e depois pelo terceiro gol, a equipe foi abaixo um pouco - analisou o técnico Paulo Autuori.

Com o revés, o Atlético-PR é o décimo primeiro colocado, com 10 pontos. No próximo sábado, às 18h, na Arena da Baixada, o Furacão recebe o Santos para buscar a recuperação.