Paulo Autuori

Posse de bola e profundidade foram as marcas da estreia de Paulo Autuori no Furacão (Divulgação/Atlético-PR)

Daniel Piva
12/03/2016
21:30
Curitiba (PR)

Na estreia do técnico Paulo Autuori, o Atlético-PR goleou o PSTC por 4 a 0, na noite deste sábado, na Arena da Baixada, pela nona rodada do Campeonato Paranaense. Apesar do pouco tempo de trabalho, os atletas apontaram algumas diferenças impostas pelo novo comandante, que elogiou bastante a mudança de postura do time.

Logo na escalação, o comandante rubro-negro realizou alterações. Nomes como Vilches, Vinícius e Walter ficaram de fora da equipe titular por sugestão do Departamento de Informação ao Futebol (DIF).

- O staff é fantástico! Além disso, a ideia é refrescar os setores do time, com variações e mudanças no setor para que o time mantenha o nível de intensidade - apontou o treinador.

Dentro de campo, a postura da equipe também foi diferente, conforme indicou o zagueiro Paulo André. O experiente atleta atleticano elogiou a mudança realizada durante a semana. Autuori foi anunciado segunda-feira e comandou o elenco, pela primeira vez, na quarta-feira. 

- Ele é um treinador inteligente, que tem conceitos modernos e conseguiu implantar em pouco tempo, como a posse de bola e a profundidade - afirmou.
Para o comandante, estes princípios devem ser os padrões do time atleticano. Em sua apresentação, o técnico do Furacão lembrou que posse de bola só é produtiva se há ofensividade, com a marcação de gols.

- Vai ser a identidade do time. A intenção é solidificar isso com o trabalho, apesar do pouco tempo para treinamentos devido ao excesso de jogos - comentou Autuori após o duelo.

Quem também aprovou a estreia do novo treinador foi o atacante André Lima. O artilheiro da partida, com dois gols marcados, disse que gostou da primeira impressão da 'Era Autuori'.

- Foi pouco tempo de convivência, mas já deu para reparar que é experiente e que tem um conceito moderno - declarou.

Na opinião de Paulo Autuori, o resultado só veio pelo comportamento dos jogadores dentro de campo. Com maior marcação, tendo o sistema ofensivo pressionando a zaga adversária, a equipe correu menos riscos.

- Mais do que jogadores de futebol eles são competidores. O mental é crucial. Hoje a grande vitória foi a atitude que tivemos - complementou o comandante.