placas FPF

Placas de campo (ao fundo) em todos os estádios reforçaram a página oficial do Campeonato na rede social.
(Fabio Wosniak/RTM Sports)

Guilherme Moreira
31/05/2016
16:15
Curitiba (PR)

O Campeonato Paranaense terminou no dia 8 de maio, com o título do Atlético-PR em cima do rival Coritiba, no Couto Pereira, encerrando um jejum de sete anos sem levantar uma taça. O torneio desta temporada também marcou a inovação com uma rede social.

Com a concorrência da Primeira Liga, torneio criado pelos clubes para romper com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e bater de frente com os Estaduais, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) decidiu apostar no marketing para amenizar o impacto. E deu certo.

Com as mídias sociais em destaque, ainda mais com a era digital tão próxima do consumidor, a edição 2016 utilizou o Facebook como principal ferramenta de interação com o público do Estado. No lançamento do torneio, no final de janeiro, a apresentação foi feita de maneira inédita, sendo transmitida ao vivo pela rede social.

Em 107 dias entre o início e o fim da enorme ação, o alcance foi de 14,6 milhões de pessoas, tendo uma média de 136.448 mil pessoas alcançadas por dia. A equipe de trabalho criou 14 vídeos, com 1,3 milhão de visualizações, média de 92.857 mil visualizações em cada.

Além disso, a página oficial do Campeonato Paranaense no Facebook atingiu 45 mil curtidas em pouco mais de três meses. As empresas Duet e RTM Sports, responsáveis pela produção do conteúdo, fizeram coberturas especiais em dias de jogos, quadros interativos e enquetes oficiais. Nove cidades foram visitadas durante dezembro de 2015 e janeiro deste ano, onde a equipe buscou histórias locais, dos torcedores e de cada um dos doze clubes participantes do Paranaense.

Ações 

ações facebook FPF
Alcance das ações da Federação Paranaense de Futebol no Facebook. (Divulgação/RTM Sports)

Os conteúdos começavam a ser publicados com informações tradicionais do pré-jogo, como data e local da partida, horário, arbitragem, capacidade do estádio, previsão do tempo, canais de transmissão de jogos e posição de cada equipe na tabela de classificação. Já a "Partida Destaque" ganhava uma cobertura única, com escalações das equipes, início de jogo, gols, intervalo e final de confronto. Os resultados dos outros jogos da rodada também eram informados.

Já o pós-jogo começava no dia seguinte às partidas, com a repercussão dos jogos em quadros informativos, a classificação atualizada e também a artilharia da competição. Uma enquete para votação de Craque da Rodada também era promovida, com os técnicos escolhendo os melhores jogadores adversários que participariam das votações. Placas de campo em todos os estádios reforçaram a página oficial do Campeonato na rede social.

Média de público melhorou

Uma das intenções de utilizar o marketing e as redes sociais como ferramentas era atrair o torcedor ao estádio. De certa forma, a FPF conseguiu aumentar a média de público em 2016 em relação aos últimos anos: 3.782 torcedores por partida.

O número deste ano é superior a do ano passado, que foi de 2.862 pagantes por jogo. Em 2014, a média foi maior que de 2015, mas inferior a de 2016: com 3.181 pessoas. Já no ano anterior, a quantidade foi de 3.002 enquanto em 2012, o montante era de 2.425 torcedores.