Santa Cruz x América-RN - Roberto Fernandes (Foto: Antonio Carneiro/ LANCE!Press)

Roberto Fernandes chega para evitar o rebaixamento do Paraná. (Foto: Antonio Carneiro/ LANCE!Press)

Guilherme Moreira
25/09/2016
21:04
Curitiba (PR)

Poucas horas após anunciar a demissão de Marcelo Martelotte, o Paraná Clube definiu o seu novo treinador para o restante da temporada. Roberto Fernandes, 45 anos, irá comandar a equipe na reta final do Campeonato Brasileiro da Série B.

Com passagens por clubes tradicionais do futebol brasileiro, como Atlético-PR, Náutico, Fortaleza, Paysandu, América-RN e ABC, Fernandes comandou o Confiança na disputa da Série C. O treinador será apresentado ao grupo nesta segunda-feira e terá apenas três dias para trabalhar o time visando o compromisso em Goiânia, na quinta-feira, às 21h, no Serra Dourada.

Fernandes terá como auxiliar-técnico um ídolo da torcida tricolor. Ageu Gonçalves assume a função, voltando ao clube que o projetou para o futebol nacional. O retorno de Ageu à Vila Capanema já vinha sendo idealizado pela diretoria há tempos. 

Conhecido por sua raça dentro de campo – como zagueiro, lateral ou volante –, Ageu está na galeria dos atletas que mais vestiram a camisa do Paraná em toda a história. Ele só irá se apresentar no início da próxima semana, pois está realizando curso na CBF. Como auxiliar, ele tem no currículo os títulos nacionais pelo Cruzeiro (Brasileiros de 2013 e 2014) e pelo Palmeiras (Copa do Brasil 2015).

Com 33 pontos e na décima quarta colocação, o Tricolor terá, na sequência, dois jogos fora de casa, contra Goiás e Luverdense. O treinador vem acompanhado do preparador físico Rogério Juidecce de Souza. Com isso, Marcos Walczak, que era fixo na comissão técnica e fazia a mesma função, também foi demitido.

Surpresa


O nome de Roberto Fernandes chega com certa estranheza no momento. A direção trabalhava com três nomes no início: Léo Condé, Itamar Schülle e Vinícius Eutrópio. Todos já visando 2017, passando antes por evitar o rebaixamento.

Com essa decisão, o Tricolor aposta em um trabalho a curto prazo, pensando exclusivamente na reta final da competição.