Atletico-PR X Desportivo Capiata

Empate com seis gols foi melhor para o time paraguaio, que leva vantagem para o jogo da próxima quarta-feira (Foto: Geraldo Bubniak/AGB)

Daniel Piva
15/02/2017
23:46
Curitiba (PR)

Atlético-PR e Deportivo Capiatá-PAR proporcionaram um jogo para lá de emocionante na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada. No fim, melhor para os paraguaios, que festejaram o empate por 3 a 3 em Curitiba e levam uma vantagem para o jogo da volta, que será disputado na semana que vem.

Na escalação do Atlético-PR tinha duas surpresas: o zagueiro Thiago Heleno estava confirmado como titular e estreou na temporada e Felipe Gedoz assumiu a vaga de Carlos Alberto, vetado pelo departamento médico por lesão na panturrilha.

E foi justamente uma das novidades que foi o responsável pelas principais investidas do Furacão: logo no primeiro minuto, Felipe Gedoz bateu direto para o gol e exigiu boa defesa do goleiro Medina. Já aos 19, em uma cobrança de falta frontar, ele contou com um desvio da bola na barreira para superar o goleiro do time paraguaio e abrir o placar na Arena da Baixada.

Com o 1 a 0 no placar, o Atlético-PR chamou o Deportivo Capiatá-PAR para cima, para apostar na velocidade do trio formado por Nikão, Gedoz e Pablo, que tinham a responsabilidade de municiar Grafite. O Furacão até teve alguns bons momentos, mas Pablo e Gedoz finalizaram pela linha de fundo.

Aos poucos o Deportivo Capiatá-PAR foi se soltando. Aos 35, Irrazabal acertou o travessão do goleiro Weverton. Já aos 43, após uma falha na recomposição do sistema defensivo do Atlético, Noguera deixou tudo igual na Arena da Baixada. 1 a 1.

Para deixar ainda mais dramática a situação do Atlético-PR, o time paraguaio marcou o segundo gol aos oito minutos do segundo tempo, quando após uma outra bobeada da zaga, Nestor Gonzalez empurrou para o fundo da rede, virando o placar.

No entanto, a reação atleticana foi imediata. Aos 12, Gedoz arriscou um chute de fora da área, Paredes cortou a bola com a mão dentro da grande área e o árbitro assinalou penalidade máxima para o Furacão. Na cobrança, Gedoz bateu forte, no meio do gol, e empatou novamente a partida. 2 a 2.

E logo após o gol de empate, o Atlético-PR teve mais um fato para comemorar: aos 15, Paredes cometeu falta e recebeu outro cartão amarelo, sendo expulso de campo.

Com um a menos, o time paraguaio se fechou. O Atlético-PR teve dificuldades para criar. Na melhor chance criada, Grafite dominou, girou e bateu, mas a bola foi pela linha de fundo. Após isso, as alternativas passaram a ser arremates de longa distância e em lances de bola parada. Desta forma, Nikão e Thiago Heleno assustaram o goleiro Medina.

Na base da imposição, o Atlético-PR foi pressionando o Deportivo Capiatá-PAR. Aos 39 minutos, Nikão cruzou da esquerda, o zagueiro Paulo André desviou de cabeça a bola para Pablo, que dominou e bateu forte para virar novamente o placar. 3 a 2 para o Furacão.

Mas a festa atleticana durou pouco. Aos 43, após cobrança de escanteio, Gonzalez desviou de cabeça no primeiro pau e balançou a rede pela sexta vez na Arena da Baixada. 3 a 3.

Com o resultado, o Deportivo Capiatá-PAR joga por um empate até por 2 a 2. Já o Atlético-PR precisará surpreender para se classificar. A última vitória do Furacão como visitante foi no dia 21 de setembro de 2016, quando venceu o Grêmio por 1 a 0, nas oitavas de final da Copa do Brasil, mas foi eliminado na disputa dos pênaltis.