Paulo Autuori

Para Paulo Autuori, a saída de importantes peças do time não serve como desculpas para o mau momento do Atlético-PR. (Marco Oliveira/Atlético-PR)

Daniel Piva
09/09/2016
15:57
Curitiba (PR)

Apenas uma vitória e quatro derrotas nos últimos cinco jogos, ou apenas dois triunfos nas últimas oito partidas. Independente de qual recorte seja adotado, é inegável que o Atlético-PR não passa por um momento. De time que brigava pela parte de cima da tabela, a equipe não vem tendo um bom desempenho e está caindo na classificação do Campeonato Brasileiro. Na busca de explicar o que está se passando, importantes nomes do grupo estão tendo um confronto de ideia.

Após o revés para o Figueirense, na última quarta-feira, em Florianópolis, o zagueiro Paulo André, um dos principais nomes do elenco atleticano, sinalizou que o time está sofrendo com a falta de opções.

- Futebol é investimento. Futebol não foge de você ter elenco grande, qualificado e numeroso. Isso é botar dinheiro. Tenho certeza que a folha do Atlético-PR é uma das mais baixas do Campeonato Brasileiro e isso se reflete no segundo turno - afirmou Paulo André.

A declaração de Paulo André pode ser uma referência a saídas de atletas do Atlético-PR. Recentemente, o meia Vinícius foi negociado com o Náutico e o atacante Walter com o Goiás. Um pouco antes, nomes como o zagueiro chileno Vilches, o volante Jádson e os ponteiros Ewandro e Anderson Lopes deixaram o Furacão. Além disso, há importantes baixas no DM, casos do volante Deivid e do meia Nikão, que não jogam há um bom tempo.

Nesta sexta-feira, o treinador Paulo Autuori afirmou que respeita a opinião de Paulo André, mas acredita que esses fatos não servem como justificativas para um desempenho baixo do time.

- Eu trabalho com aquilo o que é a realidade e tenho a responsabilidade de tirar o melhor de todos. Em nenhum momento eu não vou aceitar qualquer justificativa sobre o que se passou no jogo contra o Figueirense, pois não tem - respondeu o comandante atleticano.

Já o goleiro Weverton, que é o capitão do time e que voltou da Seleção Brasileira, fez coro ao comandante e discordou de Paulo André.

- Se a gente analisar bem com calma, a gente está na frente de muita gente que está gastando bem mais. Isso não é o problema. Como afirmou o Paulo Autuori,  nós temos que jogar com o que tem. Não tem que ficar se lamentando com isso, mas agradecer a oportunidade de estar em um grande clube, com uma grande estrutura e pensar pra frente - apontou o camisa 12 do Atlético-PR.