Juan, Deivid, Carlinhos

Juan e Carlinhos, do Coritiba, e Deivid, do Atlético-PR, estavam em seus respectivos clubes em 2015. (Giuliano Gomes/PR Press)

Daniel Piva
23/03/2016
07:00
Curitiba (PR)

Até aqui,  Atlético-PR, Coritiba e Paraná contrataram, ao todo, 25 jogadores na temporada. Porém, nos times titulares, os técnicos do trio de ferro estão preferindo optar por atletas que estavam nos clubes desde o ano passado.

O clássico Atletiba, por exemplo, disputado no último domingo, teve nos times iniciais apenas quatro jogadores que chegaram agora.  Pelo lado do Coritiba, o único titular no último domingo que foi contratado após a Série A de 2015 foi o lateral Ceará, capitão do time, vindo do Cruzeiro. No decorrer do duelo, entraram o volante Amaral e o atacante Vinícius, outros reforços (do Palmeiras), além do meia Dudu, que estava emprestado ao Criciúma, e começou como titular.

No total, o Coritiba contratou dez jogadores para a temporada. Destes, o que mais jogou foi Ceará, com dez participações. Por outro lado, nomes como o zagueiro Nery Bareiro, o volante Fábio Braga e o meia Cesar Gonzales ainda não estrearam com a camisa alviverde.  

Ceará
Ceará é o reforço que deu certo até aqui no Verdão. (Divulgação/Coritiba)

Atletas como o goleiro Elisson e o lateral Benítez jogaram pouco, enquanto Amaral e Leandro perderam espaço. Já Vinícius quer aproveitar o bom desempenho que teve no segundo tempo do Atletiba, fora a boa apresentação diante do Avaí pela Primeira Liga, para se firmar no clube.

- O fato de termos feito um bom jogo contra o Atlético-PR e de ter apenas o Ceará de recém contratado chega a ser engraçado, porque o clube foi muito criticado no início do ano de ter mantido a base de um time que quase caiu - apontou o volante Alan Santos.

Pelo lado do Atlético-PR, dos 11 titulares atuais, três chegaram ao clube para esta temporada: o lateral Pará, o zagueiro Paulo André e o meia Vinícius. O Furacão contratou sete jogadores no total, mas era apontado como o clube que melhor se movimentou no mercado, já que havia negociado com atletas reconhecidos no cenário nacional.

Porém, dos que chegaram, o único que se firmou como titular absoluto é Paulo André, que ficou fora de somente três jogos (Cascavel, Londrina e Brasil-RS). Vinícius também foi titular bastante vezes, mas oscilou bons e maus momentos - inclusive, foi criticado abertamente pelo técnico Paulo Autuori após a expulsão na Copa do Brasil. No clássico do final de semana, o camisa 22 teve outra atuação apagada.

- A expulsão do Vinícius não pode acontecer. É um comprometimento com a equipe. Era um jogo tranquilo, com poucos problemas e sem muitos choques que possibilitassem esse desequilíbrio, que não pode acontecer - criticou o treinador logo após a partida da última quinta-feira, contra o Brasil-RS.

Nomes como Léo e Thiago Heleno pouco foram testados, enquanto Pará sofreu com problemas médicos no início do ano e só agora passou a ser utilizado. Já atletas como Anderson Lopes e André Lima estão no banco de reservas. O primeiro chegou a ser titular, mas foi sacado e chegou a nem ser relacionado recentemente, enquanto o segundo tem mostrado serviço quando entra em campo. 

Paulo André
O experiente zagueiro Paulo André conquistou vaga no time titular. (Giuliano Gomes/PR PRESS)

- Mais importante do que estar marcando gols ou do que ser titular é o Atlético-PR conquistar bons resultados - afirmou o atacante logo após o duelo contra o PSTC, na nona rodada do Campeonato Paranaense, quando ele jogou na vaga de Walter e balançou a rede duas vezes.

Já no Paraná Clube, o técnico Claudinei Oliveira vem optando por manter um time-base. Tanto é que até a nona rodada do Estadual, o Tricolor era o clube que menos havia utilizado atletas na competição - apenas 20. Do time considerado titular estão quatro contratados: o lateral Nei, os meias Válber e Nádson e o atacante Róbson. 

Meias Válber e Nádson jogaram os noves jogos do Paraná no Estadual
Meias Válber e Nádson jogaram 10 jogos do Paraná no Estadual (Divulgação/Paraná)

No último domingo estrearam o zagueiro Demerson e o volante Lucas Otávio, os últimos reforços paranistas para a disputa do Estadual e visando a Série B. Nomes como Dick e Toni estão ficando no banco de reservas, com a tendência de não continuarem no clube após o fim de seus contratos - terminam no fim do Campeonato Paranaense.

- Foi opção do clube contratar pouco neste início de temporada, trabalhar no Campeonato Paranaense com um elenco mais enxuto e fazer maiores investimentos para a Série B. O acesso, como sempre falamos, é o nosso objetivo principal do ano - declarou Claudinei Oliveira.

O Paraná, no momento, é o vice-líder do Estadual, com 20 pontos. O Coritiba é o terceiro, com 17. O Atlético-PR o quarto, com 16.