Wilson

Goleiro segura uma das cobranças, em Córdoba, e garante passagem de fase do Coxa. (Divulgação/Coritiba)

Guilherme Moreira
29/09/2016
02:37
Curitiba (PR)

Em uma noite histórica, o goleiro Wilson foi o principalmente protagonista na classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana. O camisa 84 pegou duas penalidades e ainda converteu a sua, garantindo a passagem de fase na competição.

Após sair atrás do placar, com um lindo gol de bicicleta de Bieler, o clube brasileiro foi atrás do resultado. Iago, no final do primeiro tempo, e Bareiro, já na segunda etapa, ambos de cabeça, viraram para o Verdão. O triunfo por 2 a 1, de virada, no tempo normal, levou a decisão para os pênaltis.

E aí o arqueiro coxa-branca brilhou. Depois de Leandro perder a primeira cobrança, Wilson defendeu a quarta cobrança dos Piratas, em seu lado direito, batido por Luna. Na sequência, ele mesmo bateu no mesmo canto e colocou o Verdão em vantagem. Na última e decisiva penalidade do adversário argentino, o goleiro pulou novamente pra direita e defendeu para a explosão coxa-branca. 

- A primeira partida não condizia com a realidade. Nós fizemos uma grande partida hoje e conseguimos a classificação. Eu já fiz outros gols de pênaltis, foi uma cobrança bem feita e que nos ajudou - comemorou, em entrevista concedida às rádios presentes na Argentina.

Após falhar no final de semana, no revés para o Palmeiras, Wilson se redimiu. E ainda foi humilde, dividindo a primeira vitória internacional fora de casa com os companheiros.

- É uma classificação histórica para o nosso clube, superamos a torcida e o time deles. Mostramos que temos uma grande equipe, fizemos uma grande partida e conseguimos a classificação para o Coxa - finalizou.

Referência na equipe, Wilson tem 44 jogos nesta temporada - todas como titular. Contratado em julho de 2015, ele tem 71 partidas com a camisa alviverde. Na próxima fase, o Coxa enfrenta o Atlético Nacional-COL, atual campeão da Copa Libertadores. O primeiro jogo é em Curitiba, no dia 19 ou 20 de outubro, no Couto Pereira.