Deivid, Hernani

Volantes reservas, Deivid e Hernani comandaram o meio-campo no Atletiba. (Giuliano Gomes/PR PRESS)

Guilherme Moreira
02/05/2016
14:53
Curitiba (PR)

A escalação do Atlético-PR para o jogo de ida da final do Campeonato Paranaense surpreendeu. As mudanças do técnico Paulo Autuori funcionaram e o Furacão venceu o Coritiba por 3 a 0 no domingo, na Arena da Baixada, com autoridade.

Na ala, Léo seguiu no time mesmo com Eduardo podendo voltar após cumprir suspensão automática. No meio, Deivid entrou na vaga do expulso Otávio, enquanto Hernani foi a grande surpresa, colocando o titular Jadson no banco. No lugar do machucado Vinícius, o meia-atacante Pablo assumiu a posição e Ewandro começou em campo, deixando Marcos Guilherme de fora.

- Dependendo do adversário, podemos ter estratégias diferentes e sem mudar o desenho tático. É a coerência do que falamos no dia a dia para eles. Se continuar assim, vamos aumentar o nível competitivo da equipe e é isso que queremos - afirmou o comandante atleticano. 

De fato, a postura rubro-negra foi outra. Melhor distribuído, o Furacão dominou todas as ações da partida e Hernani ditou o ritmo do meio-campo, flutuando entre as linhas e quebrando a marcação alviverde. Essa saída de bola dos volantes, inclusive, era a preocupação do técnico rival, Gilson Kleina, que admitiu após a partida que teve dificuldades para acertar o posicionamento e a marcação do volante.

O Coxa, acuado no gramado, deu apenas um chute a gol (com Negueba) durante toda a partida - somente no segundo tempo, quando já perdia por dois gols. Com desfalques importantes, como os meias Dudu e Juan, além do lateral Ceará, a equipe não se encontrou e a estratégia do contra-ataque puxado por Vinícius parou na compactuação atleticana.

Deivid, fazendo o simples, marcou muito bem e a defesa não perdeu uma, com destaque para Thiago Heleno que ainda teve sua atuação coroada com o gol que abriu o placar. Esse foi o primeiro jogo do ano em que o Verdão não marcou no Estadual. 

- Dependendo do adversário, podemos ter estratégias diferentes e sem mudar o desenho tático - afirma Autuori

- A equipe teve uma atitude mental muito forte e isso foi o mais importante. Eu quero uma equipe competitiva internamente para que eu possa criar as estratégias e ter confiança em todos os jogadores. Esse convencimento é fundamental - completou Autuori.

Ewandro, autor do segundo gol e que deve garantir vaga para o confronto do próximo final de semana, se mostrou alinhado ao discurso do técnico. O atacante, aberto pela esquerda e dando trabalho ao adversário entre o posicionamento dos volantes e da defesa, confirmou que a comissão vem cobrando e motivando o elenco.

- Eu acho que o importante é estar sempre treinando bem e todo grupo está fazendo. Estamos competindo um contra o outro e, quando aparece a chance, cada um dá o seu melhor e o jogo foi uma prova disso. Aproveitamos as chances dessa vez e matamos o jogo - comentou.

Depois de um bom jogo na própria Arena, no primeiro duelo da semifinal contra o Paraná, quando pressionou o adversário e só não teve um placar mais elástico que o 2x1 devido a atuação do goleiro Marcos, o Atlético-PR soube aproveitar as chances. E essa era uma cobrança interna, já que a pontaria estava falhando em momentos cruciais dentro das partidas.

- O melhor jogo (do ano) eu espero que esteja por vir. Acertamos alguns detalhes táticos no intervalo, mas eu já gostei do primeiro tempo. A equipe foi muito eficiente. É algo que temos pedido aos jogadores, porque estávamos criando e perdendo chances. Foi um belo jogo - acrescentou.

No domingo que vem, no Couto Pereira, às 16h, o Furacão pode perder para o Coritiba por até dois gols de diferença que garante o título do Estadual que não vem desde 2009. Mesmo com a grande vantagem, o Atlético-PR não pensa em ficar acuado e promete manter o estilo de jogo: marcação em zona, valorização da posse de bola e rápida transição ofensiva.

- Nada foi ganho, o futebol permite tudo. O que queremos é não ficar agarrado nesse resultado e jogar lá também. Será um desafio para nós fazermos isso e conseguir um placar que confirme o título - finalizou Autuori.