Torcida organizada não entrou no Couto Pereira e pendurou faixas de protestos

Apesar da vitória, Coritiba teve dificuldades diante do Cianorte (Foto: Guilherme Artigas/Fotoarena)

LANCE!
18/03/2018
19:31
Curitiba (PR)

Com o menor público nos últimos três anos (2.234 pagantes), o Coritiba venceu o Cianorte por 1 a 0 na tarde deste sábado. Além do pequeno público, o jogo, que encerrou o jejum de vitórias do Coxa, ficou marcado por protestos dos torcedores.

Minutos antes da bola rolar, uma faixa foi aberta no setor tradicional da torcida organizada (que não entrou no estádio). No protesto, os seguintes dizeres: "Eu sinto saudade de quando o Coxa jogava com vontade".

Durante o jogo, mesmo com a vitória, o que se viu foram vaias durante e após o a partida. O único poupado foi o goleiro Wilson, que fez pelo menos três importantes defesas, entre elas um pênalti, e salvou o Coxa.

Se pelo lado do Coritiba o goleiro fez a diferença, o mesmo não pôde se dizer do Cianorte. O gol do Coxa se originou após uma falha bizarra do arqueiro João Gabriel, que fez contra. Até por isso, a torcida alviverde cobrou bastante após o jogo. 

- Como torcedor do Coxa, sei da cobrança. Quem nunca deveu para alguém? Eu já devi, mas eu sempre paguei. Nós estamos devendo, mas vamos pagar, devagarzinho, nós vamos pagar - prometeu o atacante Alecsandro.

Um dos mais criticados, mais uma vez, foi o técnico Sandro Forner, que desabafou na entrevista coletiva.

- A gente entende as críticas, mas uma cobrança exagerada não vai fazer o time melhorar, não existe uma fórmula mágica, embora a gente respeite e entenda.  Não lembro nestes anos anteriores de uma cobrança tão incisiva, como tem sido agora - disparou o comandante.