Coritiba x Atlético-PR

Nas imediações do Couto Pereira, nenhuma briga foi registrada. (Foto: Soldado Guilherme Batalha)

Guilherme Moreira
30/06/2016
01:09
Curitiba (PR)

O clássico entre Coritiba e Atlético-PR na noite desta quarta-feira, vencido pelo time alviverde, também ficou marcado por briga de torcidas antes do duelo. Quatro torcedores ficaram feridos pela confusão em um dos terminais da capital paranaense.

A partida, válida pela décima segunda rodada da Série A, estava marcada para 21h e, aproximadamente neste horário, o confronto teve início no Terminal do Portão. Um grupo de torcedores do Coxa aguardava o ônibus que iria para o Couto Pereira, quando integrantes da organizada atleticana invadiram o local.

Os rivais teriam se confrontado com paus e pedras, além de ter sido ouvido disparo de arma de fogo. Equipes da Guarda Municipal dispersaram a confusão com balas de borracha e bombas de efeito moral.  

Na briga, quatro pessoas foram feridas. Um adolescente, de 14 anos, foi atingido no olho e levado ao Hospital Evangélico, tendo risco de morte. Outro menor, de 16 anos, também foi encaminhado ao mesmo hospital. Os outros dois torcedores foram ao Hospital do Trabalhador. De acordo com a Guarda Municipal, ninguém foi preso até o momento.

Já o 12º Batalhão da Polícia Militar (PM-PR), responsável pela operação do Atletiba, afirmou que, momentos da partida, encaminhou seis adultos à Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe) nos arredores do estádio: um por desacato à autoridade e cinco por tentar entrar no estádio com bebidas alcoólicas. Todos foram identificados e assinaram o Termo Circunstanciado (TC) para responderem à Justiça pelos delitos praticados.

O esquema de segurança foi coordenado pelo 12º BPM e contou com o apoio do 13º BPM, 20º BPM e 23º BPM, bem como do Regimento de Polícia Montada (RPMon), do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTRan), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), além da Guarda Municipal, da Secretaria Municipal de Urbanismo, da Urbs (Urbanização de Curitiba), da Setran (Secretaria Municipal de Trânsito), do Jecrim (Juizado Especial Criminal), do Ministério Público, do Poder Judiciário e da Polícia Civil.