Paulo Autuori

Paulo Autuori foi expulso ainda no primeiro tempo. (Giuliano Gomes/PR PRESS)

Guilherme Moreira
22/05/2016
19:09
Curitiba (PR)

Na manhã deste domingo, Atlético-PR e Atlético-MG empataram por 1 a 1 na Arena da Baixada, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo ficou marcado pelas reclamações dos jogadores paranaenses contra o árbitro Flávio Rodrigues de Souza.

As polêmicas começaram logo aos 25 minutos do primeiro tempo. O técnico Paulo Autuori, após reclamar de um escanteio dado ao Galo, acabou expulso pela arbitragem que alegou supostos xingamentos e críticas.

Na súmula, o árbitro explica que excluiu o comandante rubro-negro devido às reclamações do treinador e ainda diz que Autuori ficou esperando na zona mista e afirmou: "Agora a conversa é de homem para homem". O treinador, que negou as acusações, pode ser denunciado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). 

- Ele (quarto árbitro Ronan Marques da Rosa) mentiu. Primeiro que ele disse que eu xinguei a equipe de arbitragem e é mentira. Depois ele já veio dizendo que ia me expulsar, sem nenhum motivo para o qual. Ele é um árbitro, hoje atuando de quarto árbitro. É coisa de homem para homem, de dizer a verdade. Ele faltou com a verdade. Eu o desafio aqui e paro a minha carreira, depois de 40 anos, se em algum momento eu fui ofensivo a equipe de arbitragem. Reclamar de lances, todos nós reclamamos, eu não vou parar - comentou o técnico atleticano.

Souza ainda traz outro agravante para o Furacão. O árbitro diz no documento que três moedas de R$ 0,25 e uma revista de publicidade amassada foram atiradas no final do confronto. O responsável foi identificado, inclusive com o presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia, apontando a pessoa de seu camarote, e retirado pela segurança do próprio estádio. A identificação ameniza um possível julgamento no STJD.

"Hoje foi demais"

Com o apito final, torcida e jogadores do Atlético-PR protestaram muito pelo desempenho da equipe de árbitros. O mais exaltado era o capitão e goleiro Weverton, que afirmou que Souza trouxe insegurança ao time e atrapalhou o desempenho rubro-negro.

- Ele chegou aqui e falou "vou consertar a m.... que o outro árbitro fez". Vem aqui e fez pior que o jogo passado (contra o Palmeiras, na primeira rodada). Todos erram, mas hoje foi demais. Cansa. Isso não existe - afirmou Weverton ao PFC.

Os atletas atleticanos reclamaram da expulsão de Paulo Autuori, de uma bola na mão de um zagueiro do Atlético-MG após chute de Nikão, da penalidade marcada aos 30 minutos do segundo tempo para o Galo depois da bola tocar na mão de Cleberson e de um gol anulado de Thiago Heleno depois de marcar falta de Walter no lance.

- É só ver todos os lances, é chato falar de cabeça quente, mas eu não tenho nem dúvida que ele atrapalhou nosso time. Gerou insegurança ao nosso time ao colocar o nosso treinador para fora, logo depois deu cartão ao Eduardo. Acho que tem que ter mais compreensão com a gente e com os torcedores, com o sócio, que saiu de casa cedo para ver o jogo. Hoje o juiz atrapalhou um pouco o nosso trabalho. Ele foi infeliz - finalizou Weverton.