torcida Atlético-PR

Organizada foi culpada pelo Furacão pelo corte no desconto da mensalidade. (Gustavo Oliveira/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
13/09/2017
15:50
Curitiba (PR)

Em mais um capítulo da briga, o Atlético-PR decidiu romper com os benefícios do setor Fan, na Buenos Aires e Coronel Dulcídio - superior e inferior. O clube paranaense aumentou o valor da mensalidade e culpou a torcida Os Fanáticos. O preço de R$ 100,00 passará para R$ 150,00 já a partir do próximo mês.

O Furacão afirma que o acordo com a organizada não foi cumprido, tanto verbalmente em 2013 quanto o escrito e assinado no ano passado. A decisão do Conselho Administrativo foi retirar o benefício financeiro (desconto de R$ 50,00), atrelado à promessa de bom comportamento e conduta da principal facção atleticana. Essa era a última vantagem que o setor ainda possuía. O clube alega que quer reprimir e prevenir novas desordens por parte de torcedores que insistem em adotar medidas que só visam a perturbar o bom ambiente no Atlético-PR e atentar contra o seu patrimônio.

Além do desconto na mensalidade, o acordo antigo estabelecia outras frentes solicitadas, tais como: não utilização dos camarotes atrás da organizada; um caixote para coordenação da torcida; remoção das cadeiras; autorização de uso de bateria, faixas e bandeirões, mesmo que em prejuízo da adoção de ações comerciais pelo clube neste espaço. Todas já retiradas anteriormente.

A medida, entretanto, já causa revolta nos torcedores considerados "comuns", que lamentam em estar sofrendo pelos atos dos outros. A tendência é que muitos cancelem seus sócios, acompanhando a evasão de associados que já vem acontecendo devido ao sistema de biometria, que limita duas cadeiras por pessoa e com único beneficiário.

Atualmente, o Furacão possui cerca de 22 mil sócios. Vale lembrar que, nesta semana, a diretoria também anunciou o aumento de 50% no valor do ingresso comprado no dia de cada partida da Arena da Baixada.

Confira a nota oficial:

"O Setor FAN (Buenos Aires e Coronel Dulcídio - superior e inferior) do Estádio Atlético Paranaense sofrerá alteração no preço da mensalidade, que passará para o valor de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) já no mês de outubro de 2017, tornando-se assim um valor único e equitativo para associação em praticamente todos os setores do Estádio (exceto VIP e Camarotes).

Esta decisão do Conselho Administrativo de retirar o benefício financeiro (desconto de R$ 50,00) atribuído no ano de 2013 aos setores FAN, após acordo de bom comportamento e conduta com a principal Organizada ("Os Fanáticos"), acompanha as últimas decisões do Clube de reprimir e prevenir novas desordens por parte de torcedores que insistem em adotar medidas que só visam a perturbar o bom ambiente no Atlético e atentar contra o seu patrimônio.

É preciso lembrar que o referido acordo realizado em 2013, entre Diretoria e Torcida, estabeleceu o valor de R$ 100,00 na mensalidade nos setores FAN, como forma de incentivo a esses torcedores que até então alegavam existência e apoio incondicional ao Atlético. Além do desconto na mensalidade, o acordo estabeleceu vários outros benefícios, tais como: não utilização dos camarotes atrás da Organizada; um caixote para coordenação da Torcida; remoção das cadeiras; autorização de uso de bateria, faixas e bandeirões, mesmo que em prejuízo da adoção de ações comerciais pelo Clube neste espaço.

Assim, como não há mais expectativa de cumprimento do acordado verbalmente em 2013 e o do escrito e assinado em Fevereiro de 2016 pela Torcida Organizada, o Clube retira o último benefício concedido a estes setores.

Para que não se aleguem injustiças, registra-se aqui o histórico de alguns (dentre muitos) prejuízos causados pela Torcida Organizada "Os Fanáticos":

2013 - Em virtude de uma briga entre membros das Torcidas Organizadas Os Fanáticos e Ultras no Atletiba realizado na Vila Capanema, o clube foi penalizado com perda de 02 mandos e multa de R$ 30 mil reais;

2013 - Perda de 09 mandos de campo para o ano de 2014, sendo 04 com portões fechados, multa de R$ 80 mil reais, prejuízo direto e indireto estimado em R$ 5 milhões (perda de receitas como bilheteria, custos/prejuízo financeiro e técnico por jogar fora), 25 ações judiciais movidas por torcedores pelo Brasil todo, inclusive uma Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público de Santa Catarina contra o Clube Atlético Paranaense, com o valor da causa em R$ 10 milhões de reais, em decorrência da violência protagonizada pelas organizadas do CAP e Vasco na cidade de Joinville em dezembro de 2013;

2016 - Apedrejamento ao ônibus do Clube e ameaças a toda comissão técnica no percurso ao aeroporto Afonso Pena para partida da semifinal contra o Flamengo pela Primeira Liga. Março de 2016;

2016 - Ameaças públicas por parte da Torcida Organizada os Fanáticos ao Atleta Walter Henrique da Silva. Abril de 2016;

2016 - Na partida realizada contra o Atlético Mineiro pelo Campeonato Brasileiro, o clube foi multado em R$ 1.500,00 por arremesso de objetos ao gramado. Maio de 2016;

2016 - Cuspe de torcedor, sócio do setor FAN, no goleiro Vanderlei Farias da Silva do Santos Futebol Clube. O clube foi multado em R$ 3.000,00. Junho de 2016;

2017 - Multa em R$ 10.000,00 pela invasão no estacionamento do estádio por parte de membros da Torcida Organizada. Julho de 2017;

2017 - Prejuízo financeiro de R$ 83.000,00 pela quebra de catracas na invasão ao Estádio na partida válida pela Copa do Brasil 2017, diante do Grêmio;

2017 - Tentativa de invasão ao CAT do Caju;

2017 - Retirada forçada de torcedores dentro do Setor FAN, Buenos Aires Inferior, para colocar faixas com as iniciais da Torcida ("TOF"), em descumprimento a decisão do Clube e em prejuízo de outros torcedores que tiveram que se deslocar à força de seus lugares para mais esta ação de indisciplina e desordem".