Vinícius Jaú

Formado pelo Atlético-PR, jovem de 19 anos rescindiu em 2015. (Divulgação/Benfica)

Guilherme Moreira
26/10/2016
16:00
Curitiba (PR)

Vinícius Ferreira em Portugal ou Vinícius Jaú no Brasil. Independente de como é conhecido, o jogador de 18 anos virou alvo de uma disputa entre Benfica-POR e Atlético-PR. O clube brasileiro cobra R$ 102 milhões da equipe portuguesa.

Em uma saída conturbada no ano passado, o meia-atacante alegou que sofria assédio moral para assinar um contrato profissional com o Furacão sem a presença dos pais ou empresário. Por outro lado, a diretoria rubro-negra reclama que tinha vínculo de formação até 2018. Durante esse imbróglio, ele chegou até a treinar no CT do Atuba, do rival Coritiba, que foi notificado pelo adversário e liberou a promessa.

No meio deste ano, as Águias assinaram um contrato de cinco anos e venceram as concorrências de Arsenal-ING e Villarreal-ESP. O atleta só conseguiu estrear oficialmente no final de semana, na vitória por 4 a 0 diante do Estoril, pelo Sub-19, marcando um gol e dando uma assistência.

De acordo com a publicação do O Jogo, o Atlético-PR foi à Fifa e exige uma indenização de 30 milhões de euros do Benfica por ter "aliciado e roubado" o jogador do CT do Caju. O departamento jurídico do time português, entretanto, acredita que precisará pagar apenas um valor de aproximadamente 300 mil euros (R$ 1 milhão) pelo período de formação enquanto esteve no Furacão.

- O Benfica aliciou o atleta e ignorou o contrato. Conversamos no início de outubro, disseram que iam analisar o caso, mas ignoraram e não nos ligaram. Não acredito que um clube tão grande como o Benfica possa ter feito uma coisa destas. Entramos com uma queixa no dia 11 de outubro junto ao Comité de Resolução de Disputas da FIFA - confirmou Rodrigo Monteiro, advogado atleticano, ao "Mais Futebol".

Cogitado pelo técnico Rogério Micale para a Seleção Sub-20 do Brasil, Jaú não foi convocado nesta quarta-feira para os jogos em novembro.