Atlético-PR x Coritiba

Jogo na Arena da Baixada foi bastante movimentado e teve polêmicas de arbitragem (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Lancepress!)

LANCE!
10/09/2017
13:00
Curitiba (PR)

Em um clássico emocionante e muito movimentado, Atlético-PR e Coritiba empataram por 1 a 1, na manhã deste domingo, na Arena da Baixada. O grande destaque da partida foi a pressão atleticana, que perdeu um pênalti e acertou quatro bolas na trave (uma delas na penalidade máxima desperdiçada por Nikão).

Nos primeiros minutos já ficou claro o desenho do jogo: o Atlético-PR apostava no volume e na bola trabalhada, enquanto o Coritiba tinha como arma a marcação e a tentativa de contra-atacar.


Após um início bem truncado, aos poucos as chances foram aparecendo, e todas pelo lado atleticano. Aos 23, após um cruzamento da esquerda, o atacante Ederson cabeceou a bola na rede, mas pelo lado de fora. Aos 29, após cobrança de escanteio, o zagueiro Paulo André, de cabeça, acertou a trave. E aos 38, o atacante Lucas Fernandes bateu rasteiro e cruzado para boa defesa do goleiro Wilson, do Coritiba.

Embora não tenha sido brilhante, o Atlético-PR dominava as ações da partida. A grande chance de abrir o placar ocorreu aos 39, quando Alan Santos derrubou Lucas Fernandes dentro da grande área. Pênalti marcado, mas desperdiçado pelo meia Nikão, que acertou a trave do goleiro Wilson.

Diante disso tudo, surgiu a velha máxima do futebol: quem não faz, leva. Em uma das primeiras finalizações do Coritiba no duelo, o zagueiro Werley, de cabeça, abriu o placar na Arena da Baixada. 

Já na etapa final, o Atlético-PR voltou disposto a empatar nos minutos iniciais. Lucas Fernandes e Paulo André exigiram boas defesas do goleiro Wilson. Se por um lado tentava pressionar muito, do outro o Furacão dava muito espaço para o Coritiba contra-atacar. No primeiro em que conseguiu encaixar, o Coxa quase ampliou com Kleber Gladiador.

Embora tivesse a posse de bola, o Atlético-PR tinha dificuldade para bagunçar o sistema defensivo do Coritiba. Assim, a arma era a bola parada. Aos 25, em cobrança de falta, Felipe Gedoz acertou novamente a trave do goleiro Wilson.

E no cenário, que persistia, ainda teve espaço para polêmicas de arbitragem. Aos 38, o Coritiba pediu pênalti cometido pelo volante Pavez em um lance em cima do atacante Rildo. O árbitro Anderson Daronco mandou seguir e na sequência da jogada Felipe Gedoz foi derrubado dentro da grande área do outro lado. Pênalti para o Atlético-PR, para a revolta dos jogadores do Coxa. Na cobrança, Gedoz bateu bem e empatou o duelo. 1 a 1.

Nos minutos finais, o Furacão foi em busca da virada, mas parou na trave pela quarta vez. Guilherme enfiou uma linda bola para Ribamar, que bateu de primeira, na saída de Wilson, e acertou o travessão.

O placar de 1 a 1 acabou sendo ruim para os dois lados. O Atlético-PR não conseguiu entrar no G-6 e o Coritiba não se distanciou na ZR. Após o fim da partida, por reclamação, o zagueiro Werley, do Coxa, foi expulso por reclamação.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR  1X1 CORITIBA

Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Data-Hora: 10/09/2017 - 11h
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)
Público/renda: 15.081 pagantes / R$ 366.885,00
Cartões amarelos: William Matheus, Kleber e Léo (CFC); Guilherme (CAP).
Cartões vermelhos: Werley (CFC)
Gol: Werley, 43'1ºT (0-1)/ Felipe Gedoz, 41`2ºT (1-1).

ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez, Lucho (Rossetto/ 21`2ºT), Lucas Fernandes (Felipe Gedoz/ 13`2ºT), Guilherme e Nikão; Ederson (Ribamar/ 27`2ºT). Técnico: Fabiano Soares.

CORITIBA: Wilson; Léo, Walisson Maia, Werley (Cléber Reis, 24`2ºT) e William Matheus; Alan Santos, Matheus Galdezani, Getterson (Iago Dias, 30`2ºT), Rafael Longuine (Tiago Real/ 16`2ºT) e Rildo; Kleber. Técnico: Marcelo Oliveira.