Atacante Lúcio Flávio marcou o gol que decretou a vitória paranista

Atacante Lúcio Flávio estendeu vínculo por dois anos. (Foto: Geraldo Bubniak/AGB)

Guilherme Moreira
04/05/2016
19:26
Curitiba (PR)

Agora é oficial. Após longa novela, o atacante Lúcio Flávio renovou com o Paraná por dois anos. O jogador fica no clube paranaense até maio de 2018.

Vindo do Operário, de Ponta Grossa, durante a Série B do ano passado, o centroavante só se encontrou no Tricolor nesta temporada. Elogiado frequentemente pelo técnico Claudinei Oliveira, o atleta se destacou na primeira fase do Campeonato Paranaense.

As boas atuações, entretanto, dificultaram a renovação do contrato que terminaria neste mês. A direção paranista, durante o Estadual, tentou se adiantar e garantir a continuidade, mas as conversas não avançaram como o esperado. 

Com nove gols até aqui e vice-artilheiro do Paranaense, Lúcio Flávio estava apalavrado com clube para renovar após o fim da competição, conforme o LANCE! informou no início da semana passada.

Entretanto, uma proposta da Coreia quase melou o negócio. Nesta quarta-feira, enfim, o atacante estendeu o vínculo com o Tricolor. Mesmo com a permanência do camisa 9, que foi um pedido do treinador, o Paraná segue de olho no mercado e pretende trazer dois atacantes para as disputas da Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Em baixa com a torcida

Depois de iniciar o ano muito bem, o centroavante perdeu crédito com a torcida nos últimos jogos. O jogador errou dois pênaltis contra o Estanciano-SE, no mesmo jogo, pela Copa do Brasil.

Além disso, Lúcio Flávio também perdeu a penalidade na decisão contra o Atlético-PR, pela semifinal do Campeonato Paranaense. Antes "unânime", o camisa 9 deixou de ser essencial em 2016 na visão da maioria dos torcedores.

Demerson não fica

Enquanto o centroavante fica, o zagueiro Demerson está de saída. O jogador, que chegou em fevereiro e tem contrato até o final do mês, estava nos planos para a sequência do ano. Mas a situação mudou.

O experiente defensor de 30 anos, que vinha no banco de reservas, não foi bem nos jogos da semifinal contra o Furacão - falhou no segundo gol do duelo na Arena, errando o tempo de bola, e saiu ainda no primeiro tempo na segunda partida, após trombar com um jogador do próprio time e se machucar sozinho.

A direção e comissão técnica reavaliaram a situação e, sem acordo financeiro, decidiram não renovar o vínculo. Foram sete jogos com a camisa paranista, sendo cinco pelo Paranaense e dois pela Copa do Brasil.

- Meu contrato vence agora no final do mês, porém não houve acordo com a direção para a renovação. Agradeço ao clube por ter aberto as portas para mim, mas agora é aguardar e estudar as propostas que estão por vir - declarou Demerson.