Campeonato Carioca - Vasco x Flamengo (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

Nenê é o cérebro do Vasco e o melhor jogador do futebol carioca na atualidade (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Aurino Leite
15/02/2016
07:35
Rio de Janeiro (RJ)

A sina rubro-negra em perder para o Vasco desde o retorno de Eurico Miranda à presidência do rival continua. Se bem que ele deveria ter cumprido a promessa de ir embora para a Sibéria após mais um rebaixamento para a Série B do Brasileiro. Mas como o assunto é o Campeonato Carioca, vamos lá. Desta vez, o Flamengo foi derrotado na Colina Histórica. Nada fez praticamente para sair vencedor. Pelo contrário. O time esqueceu o futebol na Gávea. Agora, aguentem as baforadas de charuto.

Enquanto isso, Nenê continua sobrando... Aí o vascaíno deve reconhecer que foi mais do que acertada a manutenção do meia em São Januário. Ditou o ritmo de jogo, mandou bola na trave, quase fez gol olímpico. O "cara" (ele é atualmente o cara do futebol carioca) está quilômetros à frente de Guerrero, Sheik e qualquer outro.

Na cola de Nenê vejo apenas Fred, mas precisa evoluir um pouco mais, embora seja o artilheiro da competição, com seis gols. O Tricolor mostrou que não irá desistir do título. Tudo bem que o adversário (Tigres) sequer pontuou no campeonato e era uma presa fácil. Porém, foi uma vitória (4 a 0) para dizer aos rivais: "Estamos vivos!".

Se o Vasco está firme e forte na liderança do grupo A, o Flamengo, pasmem, tem que secar nesta segunda-feira o Volta Redonda - que enfrenta a Portuguesa - para não correr risco de perder a segunda posição da sua chave (B). Muito feio isso, hein!?

E quando leva gol, lógico, a culpa cai em cima da defesa. E quem está nela? Wallace. Só que paro por aqui sobre o zagueiro para ninguém dizer que é perseguição. Apenas uma pergunta à diretoria e aos grandes profissionais remunerados da Gávea, como o diretor de futebol Rodrigo Caetano: Cadê o tão prometido zagueiro de peso? Xiiiii, silêncio...

Voltemos um pouco no sábado. Foi sofrida, foi feio o jogo, como tem sido nos últimos tempo, mas o Botafogo é líder do seu grupo (B). Aliás, totalmente isolado e, ironicamente, vê pelo retrovisor o seu maior rival - são cinco pontos de diferença. O discurso dos jogadores e do técnico Ricardo Gomes é aquele batido "o importante são os três pontos". Isso é verdade! Mas também é verdade que uma hora isso não dará tão certo, ainda mais quando o campeonato afunilar.