Daniel Bortoletto
07/03/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

A primeira fase do Campeonato Carioca terminou com os grandes devendo futebol e sendo vistos por testemunhas nos estádios.

Foram apenas 7.402 pagantes somando os jogos do quarteto neste fim de semana: Botafogo (1.128), Flamengo (2.868), Fluminense (2.215) e
Vasco (1.191). Será que dá para ser mais deficitária a competição? Resposta com a Ferj, com Rubinho e com os cartolas dos clubes que seguem compactuando com tal cenário. Mas sejamos justos. O futebol apresentado pelo quarteto segue fraquinho, sem empolgar o mais fanático dos torcedores.

Neste domingo, Botafogo e Fluminense conquistaram vitórias magras. Em São Januário, o time de Ricardo Gomes bateu o Boavista com um gol aos 44 minutos do segundo tempo. O tento de Fernandes deu ao Glorioso, ao menos, o “título” de melhor da primeira fase: 22 pontos de 24 possíveis. Uma campanha quase perfeita nos números e até muito elogiável, já que o material humano em General não é lá dos melhores.


O Tricolor, por sua vez, foi até Xerém, e fez 1 a 0 no América. É lá que o clube se orgulha de ter um centro de treinamento que forma muitos (e bons) jovens jogadores. Foi lá que o veterano Magno Alves, de 40 anos, marcou mais uma vez para garantir a classificação. Hoje, Levir Culpi se apresenta. E terá trabalho!

No sábado, Flamengo e Vasco também repetiram os resultados: 3 a 1. O Rubro-Negro, com 11 reservas em campo, saiu atrás e virou graças aos gols de Felipe Vizeu (dois) e Thiago Santos. Ponto para a base e recado para Muricy, ainda em busca de achar a melhor formação.

Já o Vasco, mais uma vez, viu Nenê marcar um belo gol. Porém, o nome do jogo acabou sendo Thalles, que aproveitou a chance dada por Jorginho para fazer dois gols e dar bela assistência. Resultado em encerrou pequeno jejum do time da Colina de dois jogos sem vencer.

Para a segunda fase, o torcedor espera mais dos quatro. E talvez volte a frequentar os estádios.