Daniel Bortoletto
21/03/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

No Fla-Flu, segundo duelo entre os grandes na Taça Guanabara, o empate voltou a acontecer. Bom para o Vasco, líder e único com aproveitamento perfeito. Já o Botafogo cumpre obrigação e sobe.

O inchado Campeonato Carioca ganhou fôlego com a eliminação de oito clubes e a realização de um octogonal na segunda fase. Tal cenário
obriga a realização de clássicos em quase todas as rodadas, dando charme à Taça Guanabara e empolgação aos torcedores. Em duas rodadas, porém, os duelos entre os grandes terminaram sem vencedor.

No domingo, no Pacaembu, o Fla-Flu terminou sem gols. Na semana passada, na abertura desta fase, já havia acontecido uma igualdade entre Fluminense e Botafogo por 1 a 1. Com os empates nos clássicos quem ria à toa é o Vasco. Após vencer o Boavista, em Cariacica (ES), por 1 a 0, o time comandado por Jorginho se isolou na liderança da Taça GB com seis pontos. É o único dos oito que lutam pelo título estadual a manter 100% de aproveitamento.













Na próxima rodada, o Vasco receberá o Botafogo. Não existe desculpas para São Januário não estar completamente lotado. O torcedor cruz-maltino que mora no Rio tem obrigação de repetir o que fez os capixabas no sábado. Foram 18 mil no Estádio Kleber Andrade. Os botafoguenses também têm motivos para encherem o setor dos visitantes, já que os comandados de Ricardo Gomes passaram ontem pelo Madureira por 1 a 0. Com quatro pontos, o Fogão divide a vice-liderança com o Flamengo.


Por falar no Rubro-Negro, o pontinho conquistado no clássico até pode ser considerado bom. Porém, mais uma vez, faltou futebol. Muricy resolveu repetir a escalação do time que perdeu para o Confiança. Força máxima, apenas com a ausência de Mancuello. Mas a decisão do técnico não refletiu em uma atuação convincente. O Fluminense, por sua vez, foi bastante modificado por Levir, que ainda busca um time ideal. E, ao menos, mostrou uma segurança defensiva maior. Já é um avanço. Mas a dupla Fla-Flu ainda tem muito a evoluir para deixar mais sorridentes os 30 mil que foram ao Pacaembu e os outros milhões no Rio e Brasil afora.