RADAR/LANCE!
24/05/2016
16:19
Rio de Janeiro (RJ)

O zagueiro Rafael Vaz já projeta seu futuro longe de São Januário. Destaque na temporada pelos gols decisivos, o jogador não terá seu contrato renovado pelo Vasco e terá que buscar uma nova casa. E isso poderá significar virar a casaca, uma vez que o Flamengo estaria interessado no atleta.

Caso a mudança seja concretizada, Rafael Vaz será apenas mais um jogador a ilustrar o hall de quem já defendeu os dois clubes cariocas. Na galeria, gente como Romário, Andrade, Bebeto, Rodrigo. Alguns tiveram sucessos nos dois rivais, outros apenas em um dos lados.


O LANCE! relembrou 11 casos de destaque. Confira abaixo a relação:

ROMÁRIO
O atacante talvez seja o exemplo mais emblemático. Revelado pelo Vasco no fim dos anos 80, o Baixinho voltou para o Brasil no auge da carreira para defender o Flamengo. Provocou o antigo clube e caiu nas graças da torcida rubro-negra. Contudo, voltou a defender o Gigante da Colina após a passagem pela Gávea e novamente teve sucesso.

BEBETO
O companheiro de Romário no ataque do tetra da Seleção é outro caso bastante significativo no tema. Consagrado no Flamengo, se transferiu diretamente para o Vasco em 1989. A negociação causou bastante polêmica e repercussão na época. O atacante repetiu o sucesso da Gávea também em São Januário. Ele teve uma segunda passagem por ambos, mas sem o mesmo brilho.

JUNINHO PAULISTA
​O meia tomou o caminho contrário de Bebeto e saiu do Vasco para o Flamengo. No Rubro-Negro, Juninho não repetiu o mesmo sucesso da Colina, apesar de ter sido convocado para a Copa de 2002, onde o Brasil foi penta.

PETKOVIC
O sérvio desembarcou na Gávea em 2000. Ficou eternizado na história do clássico pelo gol de falta no fim do jogo decisivo do Carioca-2001, que garantiu o tri do Flamengo. Um ano depois, porém, acertou com o Vasco. Foram duas passagens pela Colina e com gols e boas atuações. Contudo, a identificação de Pet é com o Rubro-Negro. O meia ainda guardou um último ato de gala em 2009, sendo um dos principais jogadores na conquista do hexa.

TITA
​O meia-atacante fez parte da geração mais vitoriosa da história do Flamengo. Isso, contudo, não impediu de Tita defender o Vasco e ser, quem diria, o autor do gol do título estadual de 1987. Além disso, o torcedor rubro-negro não perdoa o jogador por perder o pênalti na decisão entre as duas equipes em 1977.

ANDRADE
O volante foi outro integrante da equipe do Flamengo que conquistou tudo o que era possível. Chegou ao Vasco no fim da década de 1980 e chegou ao quinto título brasileiro atuando em São Januário. A sua ligação maior, contudo, é com o Rubro-Negro, onde foi o treinador responsável pelo hexa da Série A em 2009.

RODRIGO
O atual capitão do Vasco teve uma passagem discreta pelo Flamengo em 2008. Foram apenas quatro jogos devido a uma grave lesão no braço. A saída da Gávea não reservou boas lembranças ao jogador. Curiosamente a chegada ao Cruz-Maltino fez com que o defensor não só se identificasse com a torcida, como se tornou um dos atletas mais odiados pelo torcedor rubro-negro.

FELIPE
O lateral que virou meia durante a carreira é o jogador mais vitorioso da história do Vasco. A participação nos principais títulos do Cruz-Maltino fez com que sua ida para o Flamengo causasse muita surpresa. Contudo, a passagem de Felipe pela Gávea foi marcada por grandes atuações e o título estadual de 2004.

COCADA
O lateral-direito, irmão de Müller, estava no elenco do Flamengo campeão brasileiro de 1983. Dispensado pelo técnico Carlinhos, Cocada foi parar em São Januário. Sua doce vingança veio em 1988, com um golaço sobre o antigo clube e o bicampeonato estadual para o Vasco.

JORGINHO
O atual técnico do Vasco apareceu de vez no cenário nacional ao defender o Flamengo. Após passagem de sucesso pela Europa, o então lateral ainda defendeu o São Paulo antes de desembarcar na Colina. No Cruz-Maltino, foi campeão brasileiro e da Copa Mercosul. Como treinador, Jorginho também já comandou o Flamengo, mas não teve muito sucesso.

JEAN
O atacante escreveu seu nome no Clássico dos Milhões ao marcar três gols na decisão estadual contra o Vasco em 2004. Quis o destino que Jean fechasse com o Vasco dois anos depois. Logo no primeiro clássico um gol e uma atuação decisiva na vitória por 3 a 1. O atacante tem carinho das duas torcidas.