São Januário (Foto: Divulgação)

São Januário receberá Vasco x Corinthians, mas diretoria corre para aumentar capacidade (Foto: Divulgação)

João Matheus Ferreira
11/11/2015
17:12
Rio de Janeiro (RJ)

A diretoria do Vasco corre para aumentar a capacidade de São Januário a tempo do jogo contra o Corinthians, dia 19, às 22h, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Atualmente, o Laudo de Proteção Contra Incêndio (LPCI), do Corpo de Bombeiros, permite apenas 15.311 torcedores no estádio. Todavia, uma nova vistoria, provavelmente nesta quinta-feira, pode aumentar a capacidade para 19 mil ou 24 mil. É o que espera a diretoria.

Segundo informou a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, a diretoria do Vasco entrou com pedido na sexta-feira passada para modificar itens do projeto na Diretoria Geral de Serviços Técnicos. No entanto, não havia solicitado a renovação da LPCI no quartel mais próximo (11º, em Vila Isabel). Segundo o LANCE! apurou, o pedido foi encaminhado nesta tarde para o quartel da área.

Dentre as principais mudanças em relação à LPCI anterior, estão a instalação de luzes de emergências nos corredores, para-raios em certos pontos do estádio e melhoria no escoamento do público. A diretoria garante que todos os itens foram cumpridos e, por isso, acredita em aumento da capacidade. Mesmo que a carga não aumente, o jogo está confirmado no estádio.

- Estamos em andamento com o processo e aguardamos a vistoria por parte do Corpo dos Bombeiros. Independentemente disso, o jogo está confirmado para São Januário - disse o vice de engenharia e obras, André Luiz Vieira.

Na última sexta-feira, a Polícia Militar emitiu um laudo de segurança com a liberação de partidas no estádio, que estava proibido por conta das obras para a construção do campo anexo e do centro de saúde, o Caprres. As duas áreas foram isoladas e a CBF confirmou a partida no estádio na segunda. O último jogo em São Januário foi no dia 26 de julho, quando o Palmeiras goleou o Cruz-Maltino por 4 a 1. A capacidade, naquela época, foi de 15 mil.

Confira a nota do Corpo de Bombeiros:

"O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que o estádio de São Januário possui Laudo de Proteção Contra Incêndio (LPCI) vigente até julho de 2016. Neste documento, é permitida a capacidade de até 15.311 torcedores. A restrição de público varia conforme as observações avaliadas em vistoria pela corporação. Este número é definido caso a caso de maneira que o local não apresente risco iminente em dias de evento. A redução é uma medida para atender as exigências previstas na legislação.

Na última sexta-feira (06.11), os responsáveis pelo estádio deram entrada em documentação para modificação de alguns itens do projeto na Diretoria Geral de Serviços Técnicos (DGST) do CBMERJ. Tais alterações visam à melhoria do projeto de Segurança Contra Incêndio e Pânico. No entanto, este setor realiza a análise e o despacho de deferimento ou indeferimento. O prazo para esse retorno por parte da corporação é de 30 dias.

O CBMERJ ressalta que, em estando de acordo com as normas de Segurança contra Incêndio e Pânico, a consequência da aprovação destas alterações é a recuperação da capacidade plena do estádio (24.311). No entanto, ela não basta ser aprovada no papel. Tem que ser comprovada em vistoria. Para isso, os responsáveis por São Januário devem dar entrada no quartel da área (Vila Isabel) para solicitação de renovação do LPCI, o que não foi feito até o momento.

Vale informar, ainda, que, seguindo as normas do Estatuto do Torcedor, todo estádio deve dar entrada em requerimento junto ao Grupamento de Prevenção em Estádios (GPrev) solicitando a autorização para a realização de cada partida em até oito dias antes da mesma. O Corpo de Bombeiros envia, então, uma equipe ao local para ratificar as condições do LPCI vigente.

***O LPCI é um documento exigido pelo Estatuto do Torcedor e sua validade é anual. Para emissão do mesmo, o responsável pelo estádio deve realizar a solicitação formal (abertura de processo) na unidade operacional de bombeiro-militar da área."