Heverton

Héverton foi pivô de polêmica em 2013 (Foto: Reprodução de internet)

LANCE!
02/12/2016
16:02
Rio de Janeiro (RJ)

O Internacional enviou nesta quinta-feira um documento ao STJD tentando fazer ressurgir o caso Victor Ramos, apostando que, com uma irregularidade do zagueiro, o Vitória possa perder pontos no Brasileirão. O clube baiano é rival direto do Colorado na luta contra o rebaixamento. Diante deste cenário, relembre alguns casos de tentativa (com ou sem sucesso) de clubes no STJD.

1996/1997
Fluminense e Bragantino - O Caso Ivens Mendes, em 1997, em que 
uma acusação de esquema de suborno da arbitragem fez com que a CBF suspendesse o rebaixamento de qualquer equipe no Brasileirão de 1996. Fluminense (penúltimo) e Bragantino (último) se safaram da queda. 

1999
Botafogo e Gama - Quando se foi descoberto que o atacante Sandro Hiroshi, do São Paulo, atuava com documentos que mentiam sobre sua idade, Botafogo e Inter, que perderam para o time paulista durante o campeonato, entraram na Justiça Desportiva e ganharam. Com isso, o Botafogo escapou da queda e o Gama acabou ficando entre os rebaixados. A equipe brasiliense recorreu à Justiça Comum, que deu ganho de causa para o clube. Como a FIFA não aceita recursos judiciais fora do âmbito desportivo, o Gama foi punido e não poderia disputar torneios no ano seguinte. Com os conflitos, a CBF não foi capaz de organizar o Campeonato Brasileiro de 2000. O Clube dos 13 foi o responsável por organizar a competição, que seria chamada de Copa João Havelange e unificaria as três divisões do futebol brasileiro, dividida em quatro módulos com todos tendo a chance de ser campeão. O Gama e o Botafogo ficaram no módulo principal, além do Juventude (que estava na zona do rebaixamento do Brasileirão de 99), Bahia e América-MG (que deveriam jogar a Série C) e o Fluminense (que havia vencido a Série C de 99). 

2012
Palmeiras - Semelhante ao que houve com o Fluminense neste ano, o Palmeiras também tentou a impugnação de um jogo do Campeonato Brasileiro. Contra o Internacional, no Beira-Rio, o atacante Barcos fez um gol de mão que havia sido confirmado pelo juiz, mas, minutos depois, foi anulado por conta de uma interferência externa. Como isso é proibido pela Fifa, o Verdão pediu que a partida fosse anulada. Por nove votos a zero, o STJD votou pela permanência do placar. O Inter venceu por 2 a 1; com campanha ruim, o Palmeiras foi rebaixado ao fim da competição.

2013
Fluminense e Portuguesa - O Campeonato Brasileiro de 2013 acabou com o Fluminense na zona de rebaixamento e a Portuguesa livre do descenso. Dias depois, foi descoberto que o meia Héverton, da Portuguesa, jogou a última partida do campeonato (0x0 contra o Grêmio, no Canindé) mesmo estando suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O Fluminense entrou no caso como parte interessada. No fim, a Portuguesa perdeu quatro pontos e foi rebaixada.

2016
Internacional - Se vendo muito próximo de sua primeira queda para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o Inter entrou, na última quinta-feira, com um pedido no STJD que analisem a situação do zagueiro Victor Ramos, do Vitória, que estaria atuando de maneira irregular. Caso o clube baiano seja punido, o Colorado se livraria do rebaixamento.

Fluminense - Durante o clássico contra o Flamengo, em Volta Redonda, no dia 13 de outubro, o Fluminense perdia por 2 a 1 e chegou a empatar o jogo com Henrique, de cabeça, após cobrança de falta. O bandeirinha anulou o gol e, após muita reclamação, voltou atrás, legitimando o empate Tricolor. No entanto, após muita discussão dos Rubro-Negros com Sandro Meira Ricci, o árbitro voltou atrás na decisão e anulou (corretamente) o gol. Isso gerou revolta no Fluminense pois a FIFA proíbe que haja interferência externa e o time das Laranjeiras entrou no STJD com um pedido de anulação do jogo, o que foi negado.