08/11/2009: Fluminense 1x0 Palmeiras

Obina e Gum em Fluminense 0x1 Palmeiras no Brasileiro de 2009 (Foto: Paulo Sergio/Lancepress)

LANCE!
30/04/2018
23:19
São Paulo (SP)

Quase nove anos depois, o ex-árbitro Carlos Eugênio Simon admitiu que errou em jogada que acabou com anulação, por falta de ataque, de um gol do Palmeiras, marcado por Obina, na reta final do Campeonato Brasileiro de 2009, contra o Fluminense, no Maracanã. Mais do que isso, o hoje comentarista afirmou que tomou a decisão de anular o lance por "perigo de gol" já que a jogada se originou em um escanteio para o Verdão que, na visão de Simon, foi marcado de forma equivocada por ele. O ex-árbitro se desculpou com Obina em um encontro ao vivo no programa "Jogo Sagrado", da Fox Sports, emissora na qual o gaúcho trabalha comentando arbitragem.

- Só mostram uma parte. Não foi escanteio (para o Palmeiras), era tiro de meta (para o Fluminense). Depois, foi cobrado o escanteio, o zagueiro afastou, deu rebote e o Obina fez. Apitei antes. Hoje, assumo que errei. Era tiro de meta, fiquei com a pulga atrás da orelha. O cara dá perigo de gol. Muitas vezes dá certo, essa não. Eu via a fita para ver onde errei. Vi que a gritaria era enorme. De fato, o lance era tiro de meta, foi um equívoco. Tentei acertar e acabei errando. Se acontece o gol, o outro lado iria reclamar, pois era tiro de meta - afirmou Simon, que deu as mãos a Obina durante o programa.

O Palmeiras abriria 1 a 0 contra o Flu aos 30 minutos no primeiro tempo. Mas depois da anulação, acabou perdendo o jogo pelo placar mínimo, ao tomar um gol na etapa final. A partida foi válida pela 34ª rodada e, com a derrota, o Verdão perdeu a liderança para o São Paulo, ficando um ponto atrás na classificação, e não conseguiu retomá-la: o Flamengo acabou sendo campeão e o Alviverde, líder em boa parte do torneio, perdeu até a vaga no G4. A vitória foi fundamental para o Flu, em arrancada que acabou com fuga do rebaixamento.


A torcida do Palmeiras se revoltou na época. O então presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, em entrevista exclusiva ao LANCE! na mesma noite do dia do jogo, detonou Simon, afirmando que ele estava "na gaveta" e ameaçando o árbitro de agressão. Simon processou Belluzzo e também o L!, por veicular a entrevista. O ex-presidente, em 2013, foi condenado a pagar R$ 60 mil ao ex-árbitro (o jornal foi absolvido). Na época, o hoje comentarista não assumiu o erro, algo que se repetiu em entrevistas futuras.

- Já cometi equívocos, mas continuo de cabeça erguida. Boto a cabeça no travesseiro e durmo com a consciência tranquila. Todos que atacarem minha honra vão ter que provar. E já aviso que ganhei todos os processos, pois ninguém prova nada contra mim. Não tenho rabo preso. Vim de baixo, de família humilde e o povo do Rio Grande me conhece. Apitei a falta antes de a bola chegar. O Obina puxa o zagueiro e posteriormente o zagueiro puxa o Obina, que mesmo puxado fez o gol de cabeça. O jogo já havia parado. Se a televisão não pegou, é outro problema. Eu vi no campo - disse Simon, em 2009, em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul.

Em 2012, durante uma transmissão da Fox, Carlos Eugênio Simon afirmou que Obina admitiu ter feito falta na disputa de bola com seu marcador na partida contra o Flu. O atacante logo se manifestou e disse que jamais tinha dito tal declaração. O Palmeiras chegou a se manifestar oficialmente sobre o caso, desmentindo também o ex-árbitro.