Thiago Salata
04/04/2016
09:21
São Paulo (SP)

Domingo de Páscoa, 27 de março. Palmeiras, com rombos em campo, é massacrado para um ex-time de várzea. Domingo, 3 de abril, exatamente uma semana depois... Palmeiras, bem organizado, neutraliza o melhor time do Paulista e vence o Corinthians com toda justiça.

O Verdão que foi massacrado pelo Água Santa pode dizer nesta segunda-feira que não toma gols há duas rodadas e lidera seu grupo no Paulistão. O Timão, que vinha de seis vitórias seguidas desde a derrota por 3 a 2 para o Cerro Porteño (PAR), na Libertadores, sofreu seu segundo revés em três clássicos na competição.

Mesmo classificado e já líder disparado da primeira fase, o Corinthians poupou atletas no meio de semana para mirar o Dérbi. O Palmeiras, então ameaçado de rebaixamento, jogou completo na quinta, contra o Rio Claro. O desgaste maior alviverde não pesou no Pacaembu.

Cuca soube neutralizar o time de Tite, mudando mais uma vez a forma de jogar: Gabriel, Arouca, Zé Roberto e Robinho no meio. A diferença de 11 pontos a favor do Corinthians na classificação não entrou em campo.

Após meses de um trabalho ruim, em vários sentidos, o que importava mais ao Palmeiras, mesmo com classificação ainda ameaçada, era bom desempenho e não resultado. Uma derrota, que poderia ter vindo se Prass não crescesse mais uma vez, não seria tão preocupante como tantas outras neste ano. Ótimo para o palmeirense que as duas coisas foram vistam no clássico. Há luz.

E é só a classificação ou não do Palmeiras que dará graça à última rodada do Paulistão, que já tem Santos x São Bento, Corinthians x Red Bull, Osasco Audax x São Paulo (falta só saber o mando) definidos nas quartas de final. O Verdão só precisa vencer o Mogi Mirim, fora de casa, para se classificar em primeiro lugar num grupo em que todos os cinco estão vivos.

O Peixe, outro invicto em clássicos, vai forte para as decisões. O São Paulo, que se arrasta, ainda deve uma atuação convincente...

*Thiago Salata é editor do LANCE!