LANCE!
15/10/2016
20:35
Caxias do Sul(RS)

Jogando fora de casa, o Boa Esporte  conseguiu um bom resultado no jogo de ida da primeira semifinal da Série C. No Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, o Boa, time de Varginha, interior de Minas Gerais, bateu o Juventude por 2 a 1 no início da noite deste sábado.  Felipe Mateus e Daniel marcaram para o Boa, enquanto Sananduva descontou para o Juventude. 

Vale destacar que o Juventude, que ainda está vivo na Copa do Brasil, optou por mandar a campo um time com sete reservas. O Juve está nas quartas-de-final e na próxima quarta-feira recebe o Atlético-MG. No primeiro confronto, os mineiros venceram por 1 a 0. 

No próximo sábado, Boa Esporte e Juventude fazem o segundo jogo da semifinal, em Varginhas, às 21h.  Para assegurar a vaga, um empate basta aos mineiros, assim como qualquer vitória. Já o Juventude precisa vencer por dois gols de diferença. Caso o alviverde vença por um gol de diferença, o número de gols fora de casa definirá o finalista. Quem avançar pega o vencedor de Guarani e ABC, que fazem o primeiro jogo neste domingo. Vale salientar que as quatro equipes já estão na Série B. 

O jogo 

Ao mesmo tempo em que o  Boa Esporte entrou em campo decidido a matar logo o jogo, ligado no 220 V, o Juventude entrou desligado, sentindo a falta de ritmo de alguns jogadores e o desentrosamento. O alviverde gaúcho parecia que não tinha feito o aquecimento.

Tal cenário não podia dar em outra coisa a não ser gol do Boa. E  ele foi relâmpago, logo no primeiro minuto.  Daniel Cruz foi até a linha de fundo, na direita, e cruzou rasteiro. A bola passou por Gênesis e sobrou para Felipe Mateus, livre, ter apenas o trabalho de empurrar para as redes: 1 a 0.

E o segundo não demorou muito a sair. Aos cinco, os mineiros ampliaram, em uma verdadeira aula de contra-ataque.  Romano roubou  a bola no meio-campo, avançou e tocou  para Daniel Cruz aplicar um chute indefensável. 

A partir de então, lentamente, o Juventude, foi tomando conta da partida, mas sem eficiência. As melhores chance saíam dos pés de Wallacer. Em uma delas, o meia Wallacer pega rebote na entrada da área, mas chutou para fora. Aos 33, Caprini foi à linha de fundo e cruzou, na medida, para Vacaria. Apesar de encostar na bola, a bola desviou na zaga e sobrou para o goleiro Daniel. Por pouco. 

Segundo tempo 

No segundo tempo, o cenário foi parecido: o Boa começou a 1000, mas logo o Juventude foi tomando conta da partida. Logo aos seis, Daniel Cruz recebeu de longe, mas arriscou mesmo assim. Elias, porém, fez boa defesa.

Praticamente na sequência, o Boa ampliou, mas o gol foi anulado pela arbitragem.  Braian Samúdio recebeu um ótimo cruzamento vindo da esquerda, e de cabeça, empurrou para as redes. Foi a partir de então, que o Juventude retomou o controle do jogo.

Lucas, da entrada da área, Ernani, que chutou por cima do gol, e Romarinho tiveram as melhores oportunidades até  o volante Sananduva, que havia acabado de entrar, descontar para o alviverde. Uma verdadeira pintura. Com uma girada à futebol de salão, ele driblou o defensor e ainda chutou no canto direito. Com o gol, o Juventude respira.