Santa Cruz x Ponte Preta

                         William Pottker celebra um dos seus dois gols no Arruda (Foto: Pablo Kennedy/Lancepress!)

LANCE!
30/06/2016
21:23
Recife (PE)

O Santa Cruz largou bem no Brasileirão-2016 em seu retorno à elite após nove anos nas divisões inferiores. Mas a má fase veio, levando o time para a zona de rebaixamento. Má fase que não foi amenizada na noite desta quinta-feira. A Ponte Preta, transbordando eficácia diante de um adversário sem inspiração, goleou o Tricolor por 3 a 0, em pleno Arruda, pela 13ª rodada da competição. William Pottker, duas vezes, e Felipe Azevedo marcaram os gols do time campineiro. Clique aqui e confira como foi o lance a lance da partida. 

Graças ao seu segundo triunfo na condição de visitante, a Ponte Preta foi aos 17 pontos e, ao mesmo tempo em que se afastou da zona de rebaixamento, ficou próxima do G4. Já o Santa Cruz segue com apenas 11 e na 19ª colocação. Foi a quarta derrota consecutiva do Santinha no Brasileirão.  

PRÓXIMOS JOGOS

Santa Cruz e Ponte Preta voltarão a atuar pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, dia 3. E no mesmo horário. O Tricolor visitará o Botafogo, no Mário Helênio, em Juiz de Fora. Já a Ponte receberá o São Paulo, no Moisés Lucarelli.

EFICAZ, PONTE MARCA DUAS VEZES COM POTTKER

O Santa Cruz tentou propor o jogo. Mas faltava inspiração para Grafite & Cia. no Arruda. Inspiração que a Ponte teve. Atuando com três volantes e bem postada em campo, a equipe de Campinas soube ser eficaz quando teve chances. A primeira veio aos 21. Lançamento preciso de Vitor Júnior e finalização de William Pottker. Ponte 1 a 0 em Recife.

A posse de bola era tricolor. Ma sem a mobilidade necessária e com dificuldade para transpor a marcação da Ponte, o Santa Cruz não oferecia perigo ao gol de João Carlos. A Ponte, por sua vez, seguia letal. A cobrança de falta de Reinaldo parou na trave esquerda. Mas, aos 38, não teve trave para ajudar. Erro de Lelê, recuperação de William Pottker, disputa com Danny Morais e segundo gol do camisa 9. Segundo gol da Ponte. Vitória parcial mais do que justa.

Santa Cruz x Ponte Preta
Pottker se livra da marcação de João Paulo. Santa deixou a desejar                      diante do seu torcedor (Foto: Aldo Carneiro/Lancepress!)

GOLEADA DA PONTE NO ARRUDA

O Santa voltou com Mário Sérgio e Wallyson nas vagas de Léo Moura e Lelê. Mudanças que não surtiram o efeito imaginado por Milton Mendes em um primeiro momento. O time seguia com mais posse de bola, mas sem objetividade. A primeira chance só veio aos 15, com Arthur. Sete minutos depois, Grafite ficou cara a cara com João Carlos, mas não passou pelo goleiro rival. Nem o agora vice-artilheiro do Brasileirão fazia a diferença.

Já a Ponte Preta, a eficaz Ponte Preta, continuava letal. Clayson armou contra-ataque preciso e quem concluiu a jogada foi Felipe Azevedo, aos 24. Virou goleada. Milton Mendes garantiu a entrada de mais um atacante, Bruno Moraes – o quinto do Santa em campo. Quem saiu? O zagueiro Danny Morais. O Tricolor, então, passou a ter a zaga sendo formada pelo volante Uillian Corrêa e o lateral-esquerdo Allan Vieira, que já havia iniciado o jogo no setor.  O Santa seguiu tentando e até levou perigo para João Carlos. Mas não era dia do Santinha. Melhor para a Ponte que, com justiça, goleou o rival em Recife. 

FICHA TÉCNICA
SANTA CRUZ 0 X 3 PONTE PRETA


Local: Arruda, Recife (PE)
Data-hora: 30/6/2016 – 19h30
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Pedro Jorge Santos de Araújo (AL)
Público/Renda: Não divulgados.
Cartões amarelos: Lelê e Mário Sérgio (SAT); Jeferson (PON)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: William Pottker, 21'/1ºT(0-1); William Pottker, 38'/1ºT(0-2) e Felipe Azevedo, 24'/2ºT(0-3).

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Léo Moura (Mário Sérgio, Intervalo), Danny Morais (Bruno Moraes, 25'/2ºT), Allan Vieira e Roberto; Uillian Correia, João Paulo e Lelê (Wallyson, Intervalo); Arthur, Grafite e Keno – Técnico: Milton Mendes.

PONTE PRETA: João Carlos, Jeferson, Fábio Ferreira, Kadu (Douglas Grolli, 21'/1ºT) e Reinaldo; João Vitor, Renê Júnior (Ravanelli, 32'/2ºT) e Matheus Jesus; Pottker, Clayson e Felipe Azevedo (Nino Paraíba, 25'/2ºT) – Técnico: Eduardo Baptista.