Rafael Pereira e Vinícius Perazzini
01/07/2016
11:09
Rio de Janeiro (RJ)

Ex-capitão do Flamengo, Renato Abreu já assumiu importantes cobranças de falta e pênaltis, mas na última sexta-feira encarou uma missão inédita. O jogador de 38 anos, atualmente sem clube, abriu uma pizzaria no Rio de Janeiro, na semana passada, e recebeu a reportagem do LANCE! para mostrar melhor seu novo empreendimento. Proprietário atento a todos os detalhes de seu estabelecimento, ele foi ver de perto a operação na cozinha e, entre uma conversa e outra com a reportagem, foi desafiado pelo L! a fazer uma pizza. Veja abaixo como o meia se saiu.


Renato Abreu preparou uma pizza que leva o seu nome e está presente no cardápio de sua pizzaria, a Elleven Pizza e Bar, situada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A iguaria é feita com pepperoni e o meia brincou com isso:

- Em alguns jogos eu era meio apimentado demais, então peguei uma pizza que poderia se identificar comigo (risos).

Sem atuar desde o fim de 2013, quando deixou o Santos, Renato Abreu foi aos poucos amadurecendo a ideia de abrir um negócio. Após muito estudo sobre o que fazer, nasceu o projeto da pizzaria.

- Sempre tive esse pensamento de "o que fazer" depois do futebol. Daí veio minha saída do Santos e chegaram algumas propostas de alguns clubes, mas nada que me agradasse. Aí, você pensa: "nesta altura do campeonato, você tem família, escola, pessoas que dependem de você e está só saindo dinheiro e não está entrando". E, como eu já tinha ideia de que queria abrir alguma coisa e como bom paulistano eu sempre saía pelo menos uma vez por semana para comer pizza, acabou vindo a ideia de unir o útil e agradável - comentou Renato Abreu.

A pizzaria tem exposta a camisa que Renato Abreu usou na conquista do Carioca de 2007, além de camisas trocadas com rivais de Botafogo, Fluminense e Vasco. A camisa do Vasco foi usada por Romário no gol 998.

- Trouxe aqui para dentro da pizzaria muitas coisas do futebol. A intenção foi fazer uma pizzaria "mais ou menos" temática, colocar o que fiz na carreira junto da pizzaria. Tem as camisas expostas, um bar com televisão para o público ver jogos, um bolão para os clientes interagirem... A gente sabe que a carreira do jogador acaba cedo. Então, já estou me preparando com este estabelecimento para tocar minha vida após o futebol - destacou o meia.

Pizzaria do Renato Abreu
Bolão da pizzaria: Cartela com jogos da rodada é dada aos clientes

Hoje bem-sucedido, Renato Abreu recorda que precisou superar muitas dificuldades para vencer na vida:

Vim de uma família humilde, qualquer chuva que dava enchia minha casa. Nós tínhamos que tirar a lama de dentro de casa e trocar os móveis. Eu cresci tendo uma vida difícil, em um local com ladrões, contrabando... Vi este mundo de perto, mas meus pais sempre me ensinaram a ser correto, ser o que sou hoje, ser determinado.